A morte do ativista negro Malcolm X

No dia 20 de novembro é celebrado no Brasil o Dia Nacional da Consciência Negra, data esta que foi escolhida por ser o dia em que teria morrido Zumbi dos Palmares, que durante muito tempo lutou pela causa e libertação dos escravos. Esta celebração é uma forma de reconhecimento, que aos poucos, apesar de bastante lento quando deveria estar muito mais bem ajustado e ágil, enfatiza sobre os diferentes problemas enfrentados pela raça negra, como racismo, discriminação, desigualdade social, inclusão de negros na sociedade.
Infelizmente, ainda em 2021, a raça negra após a abolição da escravatura ocorrida em 13 de maio de 1888 através da Lei Áurea, continua sofrendo os mesmos problemas de antigamente, onde os negros não tiveram e ainda não tem as mesmas oportunidades que os brancos para se integrarem totalmente à sociedade. A data de 20 de novembro deveria ser uma constante durante todo ano onde as ações desenvolvidas pudessem proporcionar a eles as mesmas condições dadas aos demais, retirando-os da pobreza, serviços mais humildes, podendo ocupar cargos mais elevados e de direção, o que não acontece, mesmo sendo eles a maioria.
Nos EUA, país que viveu um período tenebroso no que diz respeito ao racismo e que ainda persiste até hoje, bastante atenuado, mas volta e meia tomamos conhecimentos de ações racistas que chegam ao óbito de pessoas, simplesmente por causa de sua cor. Em 21 de fevereiro de 1965, Malcolm X, um ativista negro na luta contra o racismo foi assassinado com 13 disparos de arma de fogo enquanto discursava no Harlem em Nova Iorque.
Uma investigação mal conduzida pelo FBI e Polícia de Nova Iorque, acusaram três homens do crime, e agora, passados mais de 50 anos, dois deles foram absolvidos, Muhammad Aziz, 83 anos e o falecido Islão Khalil, os quais passaram décadas na prisão relacionado ao crime.
Por isto a importância de uma investigação muito bem feita pela Polícia Civil aqui no nosso país, onde logo no início, após o delito, começam os levantamentos necessários para apontar a autoria do crime, bem como as provas atinentes aos fatos e da motivação. Caso esta investigação inicie de forma deturpada, tendenciosa, ao final alguém irá ser condenado e se possível, algum tempo depois de passar anos e anos trancafiado venha a ser absolvido.
A responsabilidade da equipe que trabalha no caso, o Investigador, Escrivão de Polícia, Perito e o Delegado de Polícia, são essenciais para que não se venha a cometer um lamentável erro judiciário mais tarde. Esta é a importância de um trabalho bem feito e elaborado para que pressões externas, como a cobrança da sociedade não apressem o trabalho investigativo e coloquem tudo a perder, inclusive a credibilidade na justiça. A investigação bem feita é uma consequência direta que dá a Polícia Civil a credibilidade de seus trabalhos no que diz respeito aos Direitos Humanos.

@elsonmatosdacosta
Fonte: g1.com.br

Imagem em destaque: Geledés.                                 

No dia 20 de novembro é celebrado no Brasil o Dia Nacional da Consciência Negra, data esta que foi escolhida por ser o dia em que teria morrido Zumbi dos Palmares, que durante muito tempo lutou pela causa e libertação dos escravos. Esta celebração é uma forma de reconhecimento, que aos poucos, apesar de bastante lento quando deveria estar muito mais bem ajustado e ágil, enfatiza sobre os diferentes problemas enfrentados pela raça negra, como racismo, discriminação, desigualdade social, inclusão de negros na sociedade.
Infelizmente, ainda em 2021, a raça negra após a abolição da escravatura ocorrida em 13 de maio de 1888 através da Lei Áurea, continua sofrendo os mesmos problemas de antigamente, onde os negros não tiveram e ainda não tem as mesmas oportunidades que os brancos para se integrarem totalmente à sociedade. A data de 20 de novembro deveria ser uma constante durante todo ano onde as ações desenvolvidas pudessem proporcionar a eles as mesmas condições dadas aos demais, retirando-os da pobreza, serviços mais humildes, podendo ocupar cargos mais elevados e de direção, o que não acontece, mesmo sendo eles a maioria.
Nos EUA, país que viveu um período tenebroso no que diz respeito ao racismo e que ainda persiste até hoje, bastante atenuado, mas volta e meia tomamos conhecimentos de ações racistas que chegam ao óbito de pessoas, simplesmente por causa de sua cor. Em 21 de fevereiro de 1965, Malcolm X, um ativista negro na luta contra o racismo foi assassinado com 13 disparos de arma de fogo enquanto discursava no Harlem em Nova Iorque.
Uma investigação mal conduzida pelo FBI e Polícia de Nova Iorque, acusaram três homens do crime, e agora, passados mais de 50 anos, dois deles foram absolvidos, Muhammad Aziz, 83 anos e o falecido Islão Khalil, os quais passaram décadas na prisão relacionado ao crime.
Por isto a importância de uma investigação muito bem feita pela Polícia Civil aqui no nosso país, onde logo no início, após o delito, começam os levantamentos necessários para apontar a autoria do crime, bem como as provas atinentes aos fatos e da motivação. Caso esta investigação inicie de forma deturpada, tendenciosa, ao final alguém irá ser condenado e se possível, algum tempo depois de passar anos e anos trancafiado venha a ser absolvido.
A responsabilidade da equipe que trabalha no caso, o Investigador, Escrivão de Polícia, Perito e o Delegado de Polícia, são essenciais para que não se venha a cometer um lamentável erro judiciário mais tarde. Esta é a importância de um trabalho bem feito e elaborado para que pressões externas, como a cobrança da sociedade não apressem o trabalho investigativo e coloquem tudo a perder, inclusive a credibilidade na justiça. A investigação bem feita é uma consequência direta que dá a Polícia Civil a credibilidade de seus trabalhos no que diz respeito aos Direitos Humanos.

@elsonmatosdacosta
Fonte: g1.com.br

Imagem em destaque: Geledés.