A oportunidade do Cruzeiro é de fazer a grande mudança

A temporada 2021 do Cruzeiro já começou mesmo restando mais três jogos para fechar a Série B 2020. É necessário, urgente, a reavaliação do que não foi feito na temporada passada que, definitivamente, não deu certo. Um flerte com o rebaixamento para a série C e a impossibilidade de acesso à Série A, fizeram do ano de 2020, dentro de campo, a pior temporada da história centenária do clube.

Nem mesmo a trágica campanha do brasileirão de 2019, que derrubou o clube para a série B, foi tão desastrosa como a campanha da Série B 2020. Sem as chances matemáticas de acesso, o clube tem que começar a semana planejando e executando ações que possam permitir que o acesso venha em 2021.

Poderíamos gastar o seu tempo e o espaço da coluna para elencar mais de uma dúzia de erros grosseiros do Cruzeiro em 2020, sejam dos gestores atuais e dos antecessores, dos técnicos que passaram ou mesmo dos atletas. Mas o fato é que é preciso olhar para frente. É preciso encontrar as respostas e propostas que possam resgatar a confiança do torcedor e o temor dos adversários.

Receita x Despesas

Há um grave problema financeiro com uma dívida bilionária e uma conta simples que tem que ser buscada, gastar menos do que se ganha. Dentro desta realidade o clube precisa tratar a formação do elenco sem erros. A responsabilidade do novo diretor de futebol André Mazzuco é garantir o uso racional dos recursos, junto com uma demanda técnica estabelecida pelo técnico Felipão. Tudo parece obvio quando falamos assim, mas essa situação não é seguida pela maioria dos clubes que por muitas vezes se curvam diante de sugestões de contratações feitas por treinadores que não levam em conta da disponibilidade de recursos do clube.

O clube não pode ser orgulhar de ter a maior folha salarial da Série B. Não é compatível com a realidade. Não pode buscar atletas prometendo pagamentos futuros milionários. Tem recurso, contrata. Não tem, não contrata. Honrar os pagamentos salariais já comprometidos é prioritário. O tal de jogar a dívida para o futuro tem que acabar. Antecipação de receitas é outro erro comum que tem que cessar.

Olhe para dentro da sua casa e reflita. Se a sua renda cai e seus débitos são maiores o que você, o que você faz? Reduz os custos, vende alguma coisa para pagar o que deve e baixa o padrão de vida. Não é fácil, mas é simples. Se optar pelo caminho dos empréstimos, comprar a prazo jogando a dívida para futuro e não reduzir o consumo, você fatalmente irá falir. Em um clube de futebol não pode ser diferente.

 A realidade é usar o momento para aprender, crescer, mudar de vez a gestão do clube, para que o retorno à Série A seja estruturado, dentro de fora de campo. Os 100 anos de história são grandiosos. Uma galeria repleta de conquistas nacionais e internacionais e que pode registrar, no fim de 2021, o renascimento do grande clube que é, fazendo a celebração real do centenário do Cruzeiro Esporte Clube.

Twitter @armandoBH69