Amento do número de Casos de Covid-19 preocupa especialista

É preocupante o aumento do número de casos de infectados pelo coronavírus nos últimos dias, em BH. O salto na quantidade de mortes é assustador! Para a infectologista da Santa Casa BH, Cláudia Murta de Oliveira, o cansaço em lidar com a pandemia e o relaxamento de muita gente contribuíram para essa triste realidade. Segundo a doutora, não é hora de ‘baixar a guarda’, principalmente com a chegada das festas e confraternizações de fim de ano.

Cláudia Murta de Oliveira, infectologista da SCBH. Foto SCBH

Radar Leste BH – Os indicadores da Covid-19 apresentaram aumento do índice de transmissão da doença em Belo Horizonte nos últimos dias. Você acredita que a população relaxou com os cuidados essenciais?

O período de quarentena e isolamento social imposto pela pandemia da COVID-19 tem sido muito mais longo do que a população esperava e é capaz de tolerar. Tem muita gente cansada de ficar sem as suas atividades habituais e de não poder conviver com a família e amigos. Por isso, muitas acabaram relaxando com esses cuidados e isso tem levado ao aumento do índice de transmissão da doença em Belo Horizonte.

Use a máscara. Previna-se! Foto Pixabay

Radar Leste BH – As flexibilizações dos feriados e a falsa sensação de segurança que muitas pessoas têm, pelo fato de os números terem baixado em determinado momento, podem ser armadilhas para o aumento do número de casos da pandemia?

Com a redução do número de casos, muitas pessoas tiveram realmente uma falsa sensação de segurança de que a pandemia estaria controlada e de que a transmissão não ocorreria mais. Com isso, muita gente começou a andar sem máscaras, aglomerar e fazer festas clandestinas – o que certamente impactou no número de casos.

Radar Leste BH – As festas de fim de ano estão chegando. Qual é a sua recomendação para os encontros familiares e entre amigos?

Vamos fazer festas menores e privilegiar, sempre que possível, o uso de áreas ao ar livre. Se optar pelas reuniões dentro de casa, abra as janelas e reúna poucas pessoas. Se a mesa couber até 8 pessoas, coloque apenas 4 e espalhe o restante pelo sofá ou em  cadeiras mais afastadas, tomando cuidado especial com os idosos. Procure usar máscara o tempo todo e retirar só na hora que for se alimentar ou beber algo. Evite o uso de som alto, pois as pessoas falam mais alto, gerando mais gotículas de saliva e se tiver alguém com vírus isso facilitará a transmissão. Com esses pequenos cuidados, conseguimos