Atlético de 2021 já entrou para história, o resto é debate

O Atlético ainda comemorava o título brasileiro e torcedores, jornalistas e comentaristas se mobilizavam para saber quem é o maior, qual foi a conquista mais difícil, o maior treinador de todos os tempos, o melhor atacante e quem tinha os melhores números. As perguntas se repetem após grandes conquistas no esporte e com o Atlético não seria diferente. E para quem está lendo esta coluna à espera de mais uma versão destas respostas segue uma reflexão: será mesmo que temos sempre que fazer essas comparações?

Será que é importante fazer tais comparações para valorizar um título tão difícil como Campeonato Brasileiro? E mais, é possível comparar feitos esportivos em épocas diferentes? Não tenho a pretensão de ter a reposta, mas divido com todos um ponto de vista que é a valorização de cada conquista, independentemente das anteriores. Viver o presente intensamente, sem a afobação de afirmar que o meu título é maior que os anteriores.

 Ao longo de décadas escutamos perguntas como, Pelé ou Maradona? Seleção Brasileira de 1970 ou de 1982? Muitas vezes são usadas avaliações simples ou mesmo complexos modelos matemáticos para tentarmos chegar a uma resposta definitiva. O debate enriquece a paixão pelo esporte, estimula a rivalidade dos torcedores, vende produtos, mas na maioria das vezes as repostas não são consensuais, até porque, é muito difícil comparar épocas diferentes, regras diferentes e competições diferentes.

No caso do Atlético de 2021, que já entrou para a história do clube e do futebol brasileiro com uma conquista incontestável do Campeonato Nacional, as comparações inundam o imaginário. Cuca ou Telê Santana? Reinado ou Hulk? Título de 1971 o título 2021? Jair ou Cerezo? E acho que podemos parar por aqui. Sinceramente não vejo critérios ou pontos de referência que criem condições para uma análise justa.

O time deste ano antes de tudo deu ao torcedor o alívio. Tirou dos ombros uma imensa cobrança pela falta de mais uma conquista do Brasileirão. E para o atleticano que por muitas vezes ficou no quase e reclamava pontos corridos para ser campeão, esse troféu veio para encerrar o debate. Encerrar a espera. Encerrar a fila.

No domingo que vem o time vai em busca de mais um troféu, a Copa do Brasil. O primeiro jogo contra do Athletico Paranaense será no Mineirão e no dia 15 a outra partida, em Curitiba. Se ganhar mais um troféu terminará a temporada com a tríplice coroa, Campeão Estadual, Campeão Brasileiro e Campeão da Copa do Brasil. Será a maior temporada da história do time? Prefiro a sábia reflexão do meu saudoso avô. Ao afirmar que as conquistas de 2021 estão entre as maiores da história do clube, respeitamos o passado vitorioso e valorizamos o presente. Até porque, daqui a menos de um mês essas conquistas farão parte do passado de glórias e torcedor continuará desejoso por novas vitórias em 2022.

Twitter @armandoBH69          

Imagem em destaque: @atletico