Belford Roxo e as três crianças mortas

A cidade de Belford Roxo fica na Baixada Fluminense, no estado do Rio de Janeiro. Em 27/12/2020, três garotos, Lucas Matheus, Alexandre da Silva e Fernando Henrique, com 9, 11 e 12 saíram para uma partida de futebol, simplesmente desapareceram e nunca mais retornando para as suas casas.

A Polícia Civil carioca iniciou as investigações e uma câmera identificou os garotos andando pela rua e durante todo este tempo, o que ficou esclarecido é que eles teriam furtado uma gaiola com um passarinho de um tio do chefe do tráfico da região do Castelar daquele município. Este pássaro seria vendido em uma feira localizada em um bairro vizinho.

Quando os garotos foram sequestrados, um deles apanhou tanto que acabou morrendo e os criminosos resolveram então eliminar as outras duas crianças. “Tia Paula”, a mando de Willer Castro da silva, o “Stala” e de José Carlos dos Prazeres da Silva, o “Piranha”, ambos chefes do tráfico na região, teriam ido de moto até um bar e ali perguntado quem sabia dirigir um carro para cumprir uma “missão”. Uma pessoa se apresentou e foi até o local onde o veículo estava com os corpos dos garotos e assim teriam sido levados para um rio e ali jogados. Estes restos mortais ainda não foram encontrados apesar da busca efetuada no local.

Focando as investigações nos traficantes do “Castelar” a polícia conseguiu informações dos fatos e assim, quase um ano após os acontecimentos, conseguiu da Justiça o mandado de prisão contra a quadrilha que atua naquela área. José Carlos dos Prazeres Silva, vulgo “Piranha” teria espancado e matado as crianças, sendo “Doca”, integrante do CV – Comando Vermelho – quem autorizou a execução, e as informações até agora são de que ele não sabia que eram crianças. Por causa disto, foi criado um “Tribunal de Tráfico” dentro da facção criminosa Comando Vermelho e os três principais responsáveis pela morte das crianças foram executados. “Stala, Piranha e Tia Paula”.

 Cinco  pessoas foram indiciadas por homicídio triplo com ocultação de cadáver, sendo que três foram mortas pelo próprio tráfico como acima descrito, um foragido, o “Doca” e uma outra pessoa, ainda não identificada, por ocultação de cadáver. Além disto, uma operação da polícia na região prendeu 33 pessoas de 51 mandados expedidos pela justiça por associação de tráfico ilícito de drogas.

Um fato inusitado, no entanto, aconteceu após o desaparecimento das crianças. O pai de Lucas Matheus, de 09 anos, Anderson de Jesus, indignado com o acontecimento, se alistou em uma facção rival que sequestrou os garotos e assim poderia se vingar destes criminosos. No último dia 29/11 ele foi preso e contou aos policiais esta versão tendo sido autuado por tráfico e porte ilegal de arma de uso restrito. Ou seja, o crime não compensa, em algum momento quem anda fora da lei será alcançado pela justiça ou morrerá nas mãos  dos próprios “colegas” de atividade criminosa.

@elsonmatosdacosta

Imagem em destaque: reprodução redes sociais.