Calor, vegetação seca e ação humana provocam incêndios na Leste

Estamos na temporada dos incêndios florestais. A baixa umidade relativa do ar, ventos mais fortes, vegetação mais seca e a irresponsabilidade de quem põe fogo no mato se tornam verdadeiros combustíveis para os incêndios florestais. E a região Leste não escapou dessa fatalidade. 16 bombeiros militares em três viaturas e dois brigadistas tiveram muito trabalho para combater o fogo na Mata da Baleia, próximo ao bairro Saudade, dias atrás.

Militares tiveram trabalho para conter as chamas

“Foram gastos mais de três mil litros de água no combate às chamas. Tivemos que resguardar as casas próximas, o Centro Cultural Vila Fátima e um ginásio”, lembra o tenente Manoel Braga, do Corpo de Bombeiros.O militar explica que a prática da limpeza das áreas de mata com a utilização de fogo é comum porque é simples e ‘barata’ para o proprietário. Mas, a prática é extremamente perigosa em épocas de seca como essa. O fogo avança rápido e o combate pode durar dias. “O que sabemos é que a quase totalidade dos incêndios em vegetação têm causas humanas, sejam intencionais ou por falta de cuidado no manejo desse fogo”

As chamas destruíram grande parte da mata

O Corpo de Bombeiros pede a participação de toda a comunidade no enfrentamento aos incêndios florestais. O tenente Manuel enumera os riscos e o principal deles é com a vida dos moradores, brigadistas e dos colegas de farda. Segundo ele, quando o fogo atinge redes de transmissão pode deixar cidades inteiras sem eletricidade. “Tem também a destruição da fauna e flora, piora da qualidade do ar, perda patrimonial quando atingem residências ou veículos”.

Para um incêndio de grandes proporções, com prejuízo humano e material, basta uma fagulha. E é simples evitar o pior. Basta impedir qualquer fonte de ignição que possa provocar um fogo fora de controle. Procure se informar no batalhão do Corpo de Bombeiros mais próximo sobre os procedimentos corretos de manejar o fogo quando quiser limpar o terreno. Denuncie pelo número 181 alguma prática de incêndio. A ligação é anônima. “São necessárias a conscientização e empatia para com a vida e com o meio ambiente”, afirma o tenente.