Crise provocada pela pandemia prejudica eventos no mundo inteiro

Um ano após a OMS decretar a pandemia do novo coronavírus, o mundo segue fechado para o turismo. O setor, sem dúvidas, é um dos mais afetados. Mas, hoje, gostaria de chamar a atenção para um ciclo completo de eventos que foram cancelados ao redor do globo, festivais de música, eventos religiosos, shows, etc.

No Brasil, testemunhamos o primeiro Carnaval virtual da história e o prejuízo para toda uma cadeira produtiva que dependia do evento, o maior do país, para faturar.

A Associação Mineira de Eventos e Entretenimento estima que 180 mil empregos em Belo Horizonte e na região metropolitana tenham sofrido impacto, desde a perda desses postos de trabalho à redução salarial.

Segundo o Sindicato das Empresas de promoção, organização e montagem de feiras, congressos e eventos do Estado, em Minas, 4 milhões de profissionais foram impactados com o isolamento social. Das empresas do setor, 32% encerraram as atividades ou estão funcionando em escala reduzida.

Na Irlanda, pelo segundo ano consecutivo, o St. Patrick’s Festival não acontecerá como tradicionalmente nas ruas de Dublin. Com as festas presenciais canceladas, a celebração segue no ambiente virtual com mais de 100 atrações ao redor do planeta.

Um canal de TV voltado apenas para transmitir o festival foi criado.

Na Holanda, as famosas e lindas tulipas do parque Keukenhof também continuam em quarentena. No ano passado, o país enfrentou uma primavera diferente, com o parque fechado pela primeira vez desde que foi aberto em 1950. O prejuízo financeiro ficou na casa dos 23 milhões de euros. Com o fechamento, cerca de 1.300 contratados temporários foram descartados.

Apenas 50 funcionários do quadro fixo continuaram trabalhando para manter os jardins bonitos e preparar o terreno para a primavera de 2021. Mas, este ano, será igual. Pelo calendário original, o parque abriria no dia 20 de março, mas as sete milhões de flores não poderão receber nenhum visitante. E também não serão mais vistas esse ano, já que o parque tem data para abrir e fechar obedecendo o ciclo natural das flores.

No Reino Unido, o Glastonbury, segundo maior festival de música a céu aberto do mundo, foi o primeiro do ano a cancelar a edição 2021. Ele também não foi realizado no ano passado, quando já tinha anunciado atrações como Paul McCartney, Taylor Swift, Kendrick Lamar e Diana Ross. A organização chegou a vender os ingressos para a edição deste ano e depois informou aos comprados que os bilhetes serão válidos para o ano que vem.