Curiosidades e descobertas na viagem da colunista Akemí Duarte ao Japão

Eu não sei aí na sua casa, mas por aqui só dá Olimpíadas de Tóquio na televisão, nas conversas, nas redes sociais. Eu amo esse clima, os esportes e as histórias de superação dos atletas. Mas é claro que, como boa viajante, o evento é uma ótima oportunidade de conhecer um lugar novo cheio de curiosidades.

Com o Japão essa ligação é ainda mais especial porque já estive no país e posso dizer com certeza que essa foi uma das viagens mais especiais da minha vida, afinal de contas não é todo dia que você desembarca do outro lado do mundo ou, como eu gosto de dizer, no futuro.

Sim, futuro, porque o Japão está anos luz na nossa frente. Mas não é só isso que chama a atenção por lá. Por isso, decidi listar alguns fatos e curiosidades que eu descobri no Japão:

– Para essa primeira eu nem precisei sair do aeroporto. Logo que desembarquei, passei pela imigração e peguei a mala eu fui ao banheiro e descobri algumas coisas: os banheiros públicos do Japão são muito limpos e os vasos sanitários do Japão são muito modernos. Sério, eles tem um painel de controle do lado com todo tipo de funcionalidades como duchas higiênicas e musiquinha para disfarçar os nossos, digamos, sons de banheiro.

– Na saída da estação de metrô eu constatei que as portas dos táxis abrem e fecham sozinhas e que os táxis são muito fofinhos com paninhos nos bancos.

– Vale lembrar que o trânsito por lá é mão inglesa. O volante do carro fica do lado contrário do nosso aqui do Brasil.

– Os japoneses não dão o dinheiro diretamente na mão do atendente na hora de pagar por algo, tem um tapetinho ou bandeja para colocar o dinheiro e lá que vai o troco também.

– A educação dos japoneses é um capítulo a parte. Eles são muito solícitos, simpáticos e sempre dispostos a ajudar mesmo se não souberem se comunicar em inglês.

– É muito comum não ter lixeira na rua e é muito limpo. Eles guardam o lixo pra jogar em casa.

– Conversar alto ou falar ao telefone dentro do transporte público é considerado falta de educação. Imagina o que eles acham de pessoas que ouvem música, vídeos ou áudio do whatsapp sem fone de ouvido como vemos aqui no Brasil?

– Eles não atravessam fora da faixa de pedestre e nem fora da hora. A rua pode estar deserta, mas se o sinal estiver fechado para pedestres, todos esperam.

– Os restaurantes tem maquetes das comidas. Eles deixam esse prato de mentira montadinho logo na entrada para os visitantes saberem o que pedir.

– Existem máquinas de bebidas e sorvete espalhadas pela rua. Basta colocar a moeda correspondente ao valor da sua escolha e pronto! Tem chás frios e quentes de todos os tipos e refrigerantes de sabores que nunca ouvimos falar.

– Também existem prédios só de videogames, fliperamas e karaokês.

– Em Tóquio está o maior cruzamento de ruas do mundo no bairro de Shibuya. São 8 semáforos de 5 ruas. Dizem que, por dia, 3 milhões de pessoas passam por lá.

Praticamente ao lado, está a estátua do Hachiko, o cachorro mais famoso do Japão que já virou até estrela de Hollywood. Você já deve ter assistido e chorado com “Sempre ao seu lado” protagonizado por Richard Gere.

Bom, eu atravessei o cruzamento de Shibuya em setembro de 2018 e me senti uma formiguinha.

Se você quiser ver como foi, tem um vídeo mostrando tudo lá no meu canal no YouTube. Lá também tem um vídeo mostrando outras curiosidades sobre o Japão. Assista em www.youtube.com/omundoelogoali

 Até lá!