Decisão estadual revive o clássico das multidões entre Atlético e América

Atlético e América voltam a decidir um campeonato estadual depois de cinco anos. O confronto ficou conhecido até os anos 60 como o clássico das multidões. Era o jogo mais disputado no estado até o surgimento do time mágico do Cruzeiro comandado por Tostão e Piazza e que reposicionou o clube como uma das duas maiores forças de Minas Gerais.

Atlético x América será o confronto das duas melhores campanhas da primeira fase. O Atlético tem o melhor ataque da competição com 30 gols e o América o artilheiro com Rodolfo que marcou sete gols até o momento. O primeiro jogo entre Atlético e América foi em 1913, em um amistoso que terminou em 1 x 1. De lá para cá, as duas equipes fizeram jogos memoráveis e decidiram o Mineiro 17 vezes, sendo que o América levou a melhor em nove vezes. O confronto na final direta do Mineiro, nos últimos 20 anos, aconteceu apenas três vezes, sendo o América vencedor em 2001 e 2016 e o Atlético ganhador em 2012. Outro fato curioso em 2021 é a ausência do Cruzeiro dois anos seguidos. A última vez que isso tinha acontecido foi em 2015 e 2016.

O Atlético busca o seu 46º título estadual e o América a sua 17ª conquista. Será uma decisão entre as duas equipes que defendem Minas Gerais na série A do Brasileirão, mas tem investimentos muito distintos. O Atlético tem a vantagem de jogar por dois resultados iguais, dois empates ou uma vitória e uma derrota pela mesma diferença de gols.As duas vitórias sobre Cruzeiro nas semifinais mostram a força que o América leva para a decisão do Estadual. Foram três confrontos contra o Cruzeiro em 2021 e três vitórias. Já na única partida que enfrentou o Atlético este ano, o América perdeu por 3 a 1.

O destaque do Atlético está na força de um elenco milionário e talentoso que dá ao treinador Cuca a possibilidade de escalar uma equipe completamente diferente a cada partida, mantendo, de certa forma, qualidade e competividade. Para o América do técnico Lisca, o trunfo está na longevidade de uma gestão do time que permite, mesmo com algumas trocas de peças, a manutenção de um jeito de jogar que agride os adversários e mantém a consistência defensiva.

Chegamos ao final do campeonato Estadual com a certeza de o futebol da capital vive um momento diferente, com o protagonismo clássico mudando de personagens. Reflete o atual momento de reconstrução do Cruzeiro e a atual fase mais madura do América como equipe que não deseja mais ser conhecida como uma tripulante da gangorra do futebol brasileiro. A maturidade do América, vista nas duas partidas das semifinais com vitórias por 2 x 1 e 3 x 1 sobre o Cruzeiro, deve ser respeitada e creditada à diretoria e ao técnico Lisca.

Nas finais entre Atlético x América teremos duas partidas interessantes e acredito que há um pequeno favoritismo para o Atlético pelo elenco e os talentos que o time possui. Já o Cruzeiro, que ficará mais uma vez na plateia diante decisão estadual o objetivo deve ser foco no grande esforço de formação da equipe que vai brigar fortemente pelo acesso à Séria A como o grande troféu de 2021.

Twitter @armandoBH69