Dois gênios, duas gerações, ações e recordes que encantam o mundo!

Cristiano Ronaldo dos SANTOS Aveiro, português de 35 anos, e Edson Arantes do Nascimento, mineiro de 80 anos, dois atletas geniais que fazem os corações dos amantes do futebol baterem mais forte. O português, ainda na ativa com 777 gols, e Pelé, com 1282 gols (o maior goleador de todos os tempos e atleta do século XX), são dois monstros sagrados. Na intimidade de cada um deles a tranquilidade e a certeza que dentro ou fora de campo contribuem todos os dias para tornar o futebol o esporte mais popular do planeta.

CR7, ou apenas Ronaldo para a comunidade portuguesa, é talvez o maior atleta que já jogou futebol em mais de 148 anos da primeira organização formal do esporte, criada lá na Inglaterra, em 1863. O nível de intensidade e dedicação de Cristiano Ronaldo, e não estou falando da habilidade e técnica inquestionáveis do jogador, são de encher os olhos, como diria meu saudoso avô, o português Armando Bastos, guarda-redes que defendeu a baliza da Associação São Joanense, de São João da Madeira, em Portugal, no final dos anos 1920.

O craque lusitano segue quebrando recorde. Se tornou o jogador com mais gols por seleções nacionais na história, com 109 gols, ao lado do iraniano Ali Daie, que marcou os 109 gols em 146 jogos pelo Irã. Pelé fez 95 gols pelo Brasil e Ronaldo com 18 anos de atuação pela seleção portuguesa e 179 jogos, jogou cinco Eurocopas (Copa de seleções da Europa, uma Copa do Mundo sem Brasil e Argentina) e também marcou o seu nome na história como o maior artilheiro da competição com 13 gols em cinco edições.

E foi com ele em campo que Portugal conseguiu a sua maior conquista com o título da Euro de 2016, em cima da França, que jogava em casa. Na edição de 2020, que está sendo disputada agora por causa da pandemia, CR7 não conseguiu evitar a eliminação diante da poderosa seleção da Bélgica, nossa carrasca na Copa do Mundo de 2018 da Rússia.  CR7 ainda tem pela frente a missão de levar Portugal para a Copa do Catar, ano que vem, e disputar a sua quinta Copa do Mundo.

Craque fora de campo

O nosso Pelé, senhor dos campos e da vida, com 80 anos de luz, ainda mexe com os corações dos mineiros. O craque foi escalado para ajudar em uma ação de solidariedade para o nosso Hospital da Baleia, um dos maiores orgulhos de todos os belorizontinos. A instituição está com uma rifa beneficente de uma camisa do Santos Futebol Clube, da coleção retrô de 1962, lançada pelo clube e assinada pelo maior jogador de futebol brasileiro, o rei Pelé. Cem por cento do dinheiro arrecadado com a rifa será usado na primeira etapa da reforma do Centro de Nefrologia da instituição.

Com as doações, mais de 62 mil sessões de hemodiálise poderão ser realizadas todo ano. Esse é o número de atendimentos previstos com a reforma do espaço, possibilitando que cerca de 300 pacientes por dia possam seguir seus tratamentos. A obra já está acontecendo e tem um custo estimado de R$ 1.400.000,00. A expectativa é arrecadar R$ 300 mil com a rifa, valor necessário para finalizar a primeira fase da obra.

Cada número da rifa será vendido por R$100 e a compra pode ser realizada no site Amigos do Baleia (www.amigosdobaleia.org.br). O sorteio acontece no dia 10 de agosto / 2021 pela Loteria federal. Atualmente, o Centro de Nefrologia tem uma área de 800 m², 56 poltronas e, por ano, são realizadas mais de 52 mil sessões de hemodiálise. Com a reforma, o local passará a ter 70 cadeiras de hemodiálise e capacidade para 62.500 sessões de hemodiálise / ano. A previsão de término da obra é em outubro de 2021.  Uma segunda etapa de reforma já está prevista para o próximo ano e o projeto em análise. O objetivo é estender o atendimento para 105 cadeiras, devido à alta demanda recebida pelo Hospital.

Twitter @armandoBH69