Dona Normândia representa o Vera Cruz com doçura, sabedoria e fé

A semelhança entre os nomes Alto Vera Cruz e Vera Cruz confunde muita gente. A verdade é que os dois bairros da região Leste são apenas vizinhos. O Vera Cruz também faz divisa com o Pompéia, Esplanada, São Geraldo, Jonas Veiga e Saudade. O bairro localiza-se nos antigos loteamentos conhecidos como Parque Vera Cruz e Parque Cruzeiro do Sul.

A aposentada Normândia Soares, de 80 anos, sempre morou no Vera Cruz. Foi no bairro que ela criou os 10 filhos, viu nascer os 13 netos e comemorou a chegada do primeiro bisneto. A elegância da voz, a doçura da personalidade e a vida alicerçada na fé revelam a vitalidade de uma mulher que luta desde muito nova. Ainda criança, tinha que pular da cama tarde da noite para esperar o ‘caminhão d’água’ passar no Vera Cruz.

Era a alternativa que a família tinha para encher baldes, tambores e usar a água nas tarefas de casa, para beber e tomar banho. “Eram tempos difíceis. Não tínhamos água na torneira, nem tratamento de esgoto e as ruas não eram pavimentadas”, lembra.

Filha de um jardineiro e de uma lavadeira, dona Normândia morou em uma chácara que o pai cuidava para uma família renomada na época. “Eu era muito nova, mas lembro de um Vera Cruz arborizado, mais seguro e menos violento”.

Dona Normândia e o esposo, senhor Moacir. Arquivo da família

O novo Vera Cruz

Casada com o senhor Moacir Soares há 59 anos, dona Normândia herdou o talento da mãe e sempre lavou roupas para ajudar no sustento da casa. “Cheguei a pegar 10 trouxas por semana. Tenho clientes até hoje, mas com a praticidade da máquina de lavar a quantidade de serviço diminuiu bastante”, lamenta.

Nessas 8 décadas nossa entrevistada viu o bairro mudar e melhorar bastante. “Temos saneamento básico, escola, padaria, supermercado, açougue, farmácia e uma rede de comércio que atende muito bem a comunidade. E o bairro ainda mantém muito da característica original,  que é residencial”.

Rua Conde D’Eu, um dos pontos comerciais. Foto Google Maps

Essa nobre representante do bairro não deixa o Vera Cruz por nada. É amada pela família e tem uma convivência muito amistosa com os vizinhos. É regra que o jornalista deve ser isento e se ater somente aos fatos, mas dona Normândia conquistou de vez o coração de quem fez esta reportagem.