É hoje: Dia Internacional em Memória do Tráfico de Escravos e sua Abolição

A noite de 22 a 23 de agosto de 1791, em Santo Domingo (hoje Haiti e República Dominicana), viu o início do levante que teria um papel crucial na abolição do tráfico transatlântico de escravos.

É neste contexto que o Dia Internacional em Memória do Tráfico de Escravos  é comemorado em 23 de agosto de cada ano. Este Dia Internacional pretende inscrever a tragédia do tráfico de escravos na memória de todos os povos. De acordo com os objetivos do projeto intercultural “A Rota dos Escravos”, deve oferecer uma oportunidade para uma reflexão coletiva sobre as causas históricas, os métodos e as consequências desta tragédia, e para uma análise das interações a que deu origem entre a África, Europa, Américas e Caribe.

Memorial para lembrar os escravos mortos. Foto: ONU Rick Bajornas

O Dia Internacional para a Memória do Comércio de Escravos e sua Abolição foi celebrado pela primeira vez em vários países, em particular no Haiti (23 de agosto de 1998) e Goree no Senegal (23 de agosto de 1999). Eventos culturais e debates também foram organizados. O ano de 2001 viu a participação do Museu Têxtil de Mulhouse na França na forma de uma oficina de tecidos chamada “Indiennes de Traite” (uma espécie de chita) que servia de moeda para a troca de escravos nos séculos XVII e XVIII.

A Circular CL / 3494 de 29 de julho de 1998 do Diretor-Geral dos Ministros da Cultura convida todos os Estados membros a organizarem eventos até o dia 23 de agosto de cada ano.

O Conselho Executivo da UNESCO adotou a  Resolução 29 C / 40  em sua 29ª sessão.

Fonte: ONU 

Imagem em destaque: ONU Devra Berkowitz.