Ei, como anda seu feminino?

Como anda o seu feminino? Como você mulher lida com sua vida pessoal, social e profissional? Vivemos momentos onde estamos sempre muito acumuladas de tarefas, seja no trabalho fora de casa, ou dentro de casa, cuidando da casa e da família e conciliar tudo isso com a vida pessoal é um desafio constante. Quantas vezes na semana você para pensar sobre você, observar seus sentimentos, pensamentos e fazer uma avaliação de como a sua vida, principalmente com você mesma?  

Como você tem vivido os ciclos corporais da sua vida, e tem aproveitado esses períodos para introspecção, recolhimento, auto descoberta e contemplação de si mesma? Como anda o seu cuidado com você, com sua família, seus filhos, suas filhas. Qual legado você quer deixar para aqueles que você ama? Quais tem sido suas prioridades femininas?  

Quando buscamos descobrir mais sobre nós mesmas, interiorizando e percebendo nossos sentimentos e instintos femininos, nossas vontades, nossos ciclos corporais, o mundo a nossa volta parece mudar, mas na verdade o que muda é a nossa forma de ver, viver e compreender a vida que existe dentro, internamente em nós, e passamos a nos conectarmos com nossa essência divina, com nossa essência feminina.  

Esse acordar ou despertar sobre um outro prisma de olhar para si mesma, para uma nova consciência de si, para um mundo mais maternal, menos racional, mais afetivo, sensível e artístico, pode ser uma forma saudável que nos traz suavidade, paz interior e qualidade de vida para lidar com os desafios do mundo externo sem deixar o nosso feminino de lado, que nos distancia do que somos na verdade. 

Precisamos aprender a nos reunir para resgatar o feminino em nós, e nos sustentarmos e ampararmos umas às outras e nos empoderarmos da nossa identidade feminina que nos conecta com a nossa criatividade, nossa segurança interna e isso nos ajuda a desbloquear as crenças limitantes e aprendermos a  escolher com mais consciência as amizades, parcerias e trabalho, de forma que não esgotem a nossa energia, sofrendo por viver em desacordo com o nosso potencial, nossos sonhos e desejos. 

Visite e tenha mais contato com as mulheres que fazem parte da sua vida, mãe, irmãs, avós, tias, primas, filhas, amigas. Crie pequenos rituais que te possibilite a reaprender a ser feminina. Talvez escolher um dia no mês para se reunirem e compartilharem os aprendizados em um ambiente acolhedor. Fica a dica para esse e todos os meses do ano. Mulher, seja feliz! 

Imagem em destaque: StockSnap por Pixabay.