Endometriose: doença comum entre as mulheres e que pode causar infertilidade

Cólica menstrual intensa e, em alguns casos, infertilidade. Esses são alguns dos sintomas da endometriose. A doença ocorre no útero e pode atingir outros órgãos. Mas, não se assuste! Há tratamentos eficazes e a ida precoce ao médico é um grande passo para a cura. Confira na entrevista com o do doutor Herek Duarte Araújo, ginecologista e obstetra da Santa Casa BH.

Doutor Herek, ginecologista e obstetra da Santa Casa. Foto: SCBH

Radar Leste BH – O que é endometriose? É um problema comum entre as mulheres?

Sim, pode ser considerada uma doença comum. Dentro do útero existe uma camada de tecido chamada endométrio. Essa camada sofre influência de uma série de hormônios dentro de cada ciclo menstrual da mulher e, ao final de cada um, é responsável por gerar a menstruação.

Quando células do endométrio são encontradas externamente ao útero, elas geram uma reação inflamatória onde estão fixadas, dando origem à Endometriose. A literatura médica estima que cerca de 10% das mulheres em idade reprodutiva são portadoras da doença.

Radar Leste BH – Dor pélvica e infertilidade são as principais características da doença?

A queixa mais comum é a dor pélvica, presente em cerca de 70% dos casos, que pode ser contínua ou ocorrer durante a menstruação. A infertilidade é a segunda forma clínica mais comum de apresentação da doença, ocorrendo em 25% dos casos. Existem diversas outras manifestações, como dor ao evacuar, sangramento uterino anormal, dor durante a relação sexual, disfunções intestinais, urinárias, por exemplo.

Radar Leste BH – A endometriose pode ser classificada em estágios ?

A Sociedade Americana de Medicina Reprodutiva classifica a endometriose em quatro estágios, que são: mínimo, leve, moderado e severo. Essa classificação leva em conta onde a doença se localiza como, por exemplo, nos ovários ou tuba uterina, o tamanho da lesão, a infiltração e presença de aderências

Radar Leste BH – Quais exames indicam que a paciente tem a doença?

Não existe um exame específico para diagnosticar a endometriose. A própria apresentação clínica ou o exame físico da pacientem pode sugerir que ela tenha endometriose, mesmo que não seja constatado em exames de imagem. Dentre os exames disponíveis, a ultrassonografia endovaginal com preparo intestinal e a ressonância nuclear magnética se mostram superior aos demais.

A endometriose pode causar infertilidade. Foto: silviarita por Pixabay

Radar Leste BH – A endometriose pode afetar órgãos próximos ao útero e outros distantes também, como pulmões?

Sim. Os lugares mais comuns afetados pela endometriose são os ovários, os ligamentos que fixam o útero na pelve, tubas uterinas, intestino e bexiga. Entretanto existem relatos na literatura de endometriose nos rins, pulmão e até no cérebro. Esses achados nos levam a questionar o que origina a doença e como ela pode acometer órgãos distantes e sem conexão com o útero. Infelizmente a medicina ainda não tem uma resposta concreta para isso.

Radar Leste BH – Qual é a importância de buscar ajuda médica precocemente?

Quanto antes houver o diagnóstico, maior a chance de resultados com tratamentos clínicos e menor é a chance da paciente ter impacto no bem estar e futuro reprodutivo. Essa inflamação gera aderência, retrações de órgãos e distorções anatômicas que podem ser irreversíveis, provocando um quadro de dor refratária ao uso de analgésicos, infertilidade, altera o hábito intestinal ou urinário e impacta negativamente na qualidade de vida da paciente. Esses casos mais extensos muitas vezes não têm boa resposta ao tratamento clínico e a paciente pode precisar passar por uma cirurgia. 

Foto: silviarita por Pixabay