Fuja do auto-abandono e tenha coragem para mudar

A pessoa corajosa talvez não seja aquela que se dispõe a revidar o golpe recebido, mas sim aquela que sabe desculpar a ofensa. Desculpar ou perdoar uma ofensa não é esquecer como se nada tivesse acontecido, porque se você não pontuar para o outro o seu sentimento, esse outro pode te magoar mais vezes porque você não expressou o que sentiu com a atitude desse outro.

É importante você falar com o outro sobre o que sentiu com alguma atitude, comportamento ou fala dessa pessoa que te magoou ou te deixou triste, em relação ao que você considera um descaso com você, porque se você não falar, e guardar sua dor, apenas para você, o outro continuará com a mesma postura. Ou porque não percebe o que esta fazendo ou porque não quer saber, o outro muitas vezes não tem consciência ou sequer prestou atenção no que falou ou fez, ou no que faz. E não podemos esquecer daqueles com adoecimento emocional, mental ou com desvio de personalidade, que também é um adoecimento.

Ainda vivemos muito no autoabandono, com pouca consciência de nós, sem perceber o que estamos fazendo com nós mesmos e com o outro. Nem sempre é fácil olhar para mesmos, perceber nossas faltas, observar o que estamos fazendo com a gente mesmo e em consequência com os outros, e muitas vezes quando o outro fala do que sentiu é uma oportunidade para olhar para nós.

A essa falta de conhecimento de si mesmo, dos sentimentos, das emoções, atitudes e comportamentos é que denominamos de autoabandono. Não ter a si mesmo, é um dos maiores padecimentos que podemos experimentar, devido as consequências, carregadas de muita dor e sofrimento, que se manifestam pela solidão, medo, carência, falta de confiança, tristeza, e outros.

“Tudo aquilo que não enfrentamos na vida acaba se tornando o nosso destino.” Carl G. Jung

Esse lugar que vivemos meio que repetindo sempre as mesmas coisas, sem fazer mudanças por medo ou comodismo e que, sem perceber ficamos rodando em círculos e pensando que as coisas não acontecem diferente do esperado.

Muitas vezes, quando não fazemos nossas mudanças internas, a vida nos dá um empurrão para que possamos caminhar, e esse movimento da vida, muitas vezes pode vir com dores e tristezas para nos impulsionar o nosso despertar, o olhar para nós, para o que estamos fazendo da vida e da nossa vida.

Viver é um processo dinâmico que acontece no movimento e na relação com o outro. Observe a fluidez com que da Terra, sempre mudando de lugar, em contato com todos os astros a sua volta, respeitando a cada um, e fazendo o seu giro em torno de si mesma e da grande luz que o ilumina.

Você me encontra no Instagram @zacarvapsi ou no Facebook Zailde Carvalho.