Galo começa a busca pela Libertadores e por 115 milhões de reais em premiações

Para muitos atleticanos o ano está começando no dia 21 de abril, quarta-feira, quando o time estreia na Copa Libertadores 2021, na Venezuela, contra o modesto La Guaira. O torneio virou uma obsessão depois da conquista dramática e épica da taça em 2013, em pleno Mineirão, com o técnico Cuca ajoelhado, Ronaldinho Gaúcho, Vitor, Leonardo Silva, Rever e tantos outros jogadores que entraram para a história do clube. Ganhar a Libertadores mais uma vez, desfrutar do prestígio internacional, reconhecimento, premiação milionária em dólar e mostrar ao mundo que o Atlético é um dos grandes clubes do Brasil.

Por muitos anos a Libertadores foi uma competição quase que desprezada pelos clubes brasileiros, apesar de Santos e Cruzeiro terem vencido a competição nos anos 60 e 70. Nos anos 80, quando Flamengo e Grêmio conquistaram suas primeiras taças, a Libertadores passou a despertar maior interesse de clubes e torcida. Ainda mais porque os dois clubes venceram, com transmissões de TV para todo o país, foram para a disputa do mundial Interclubes no Japão e também trouxeram a taça como “campeões do Mundo”.

De lá para cá, os brasileiros passaram a valorizar a taça ou copa, como queiram, de uma forma que já era feita por argentinos e uruguaios, até então, os maiores vencedores. Mesmo o Santos, que havia vencido a competição duas vezes com Pelé em campo, em 1962 e 63, não chegou a criar uma mística tão forte à época que despertasse nos rivais o desejo de seguir o mesmo caminho.

Atualmente os clubes brasileiros e argentinos fazem uma disputa quase que binacional pelo título. Nas últimas 20 edições, brasileiros e argentinos ganharam 16 títulos e estão sempre entre os finalistas. Na história geral da competição os argentinos tem 25 títulos e o Brasil 20, contra 8 do Uruguai que é o terceiro país com mais conquistas. Entre os clubes brasileiros há 10 ganhadores: São Paulo, Santos e Grêmio com três títulos cada. Cruzeiro, Palmeiras, Flamengo e Inter, ganharam dois cada um e Atlético, Vasco e Corinthians, faturaram a taça uma vez.

Para o Atlético será a décima primeira participação na competição na história e desde 2013, ano mágico, a sétima participação do clube. A Libertadores deste ano tem ainda outras forças brasileiras como Flamengo, Palmeiras, Santos, São Paulo, Fluminense e Internacional. O Grêmio foi eliminado na fase que chamamos de pré-Libertadores, antes da fase de grupos que começa nesta semana. Para a edição de 2021 a Conmebol reservou um prêmio milionário. Se for campeão, o Atlético pode embolsar aproximadamente R$ 115 milhões pelas premiações fase a fase, somadas ao título. Nada mal para um ano sem dinheiro das bilheterias e com despesas bem altas com uma folha salarial recheada de craques. Que a bola role que tenhamos uma competição que volte a emocionar o torcedor mineiro e brasileiro.

Twitter @armandoBH69