Galo escaldado segura o grito de já ganhou

A euforia do torcedor atleticano está contida. Pelo menos quando falamos ou ouvimos sobre a frase “é campeão”. A alegria e o entusiasmo ficam com o time e os resultados que estão deixando o Galo cada vez mais perto do título brasileiro. A cada rodada, a matemática aumenta as chances do Atlético ser o grande campeão nacional de 2021, mas nas arquibancadas, nas redes sociais e até mesmo entre boa parte da imprensa mineira, há um grande cuidado em afirmar que o time já é o campeão.

O técnico Cuca, que comemora cada vitória como se fosse a última para conquista do título, dá o recado a cada entrevista. Elogia o torcedor que ainda não soltou o grito e mantém os pés no chão para evitar o oba-oba ou o clima de já ganhou. A prudência mineirinha leva em consideração o desempenho dos adversários diretos na briga pela taça, Palmeiras e Flamengo. O time paulista cresceu muito de produção e ainda tem um confronto contra o Atlético no dia 23 de novembro, na 35ª rodada. São 10 pontos de diferença e um jogo menos. Se o Atlético mantiver a distância até o jogão, em São Paulo, pode ser o jogo da festa do título.

O Flamengo, que está a 8 pontos do Atlético, não tem mais aqueles jogos a menos que criavam uma grande expectativa de chegada e briga direta com o time mineiro. Ainda assim, o atual campeão brasileiro mostra muita força em busca dos resultados e na mesma proporção mostra uma certa irregularidade que beneficia o Galo. O time carioca faz partidas demolidoras como a vitória contra o São Paulo por 4 x 0 e desperdiça pontos preciosos como nos empates contra a Chapecoense, Athetico-PR e Cuiabá  e na derrota para o Fluminense.

Os cenários são desafiadores e ao mesmo tempo muito favoráveis ao Atlético. Um título de regularidade se conquista a cada uma das 38 rodadas. E os números do Galo tem sido impressionante. São 21 vitórias, 5 empates e apenas 5 derrotas. Aproveitamento de 73% antes de encarrar o xará paranaense, terça, em Curitiba. Em casa o time mineiro tem a incrível campanha de 14 vitórias, 1 empate e uma derrota. Time que joga para vencer. Busca o resultado o tempo todo. Muito ofensivo.

 Mas o que mais me chamou a atenção na regularidade do time é a consistência do sistema defensivo. A gente tem visto e ouvido sempre a exaltação ao poder ofensivo com Hulk, Nacho, Diego Costa, Keno, Vargas, Sacha e Savarino, mas a defesa sofreu apenas 22 gols em 31 partidas. E quando falamos de defesa começamos lá no ataque. Méritos do técnico Cuca que conseguiu fazer a equipe jogar com o grande empenho não só para ter posse de bola, mas para tomar a bola do adversário.

O Atlético é um time briga para retomar a bola na saída da defesa adversária. Além disso, o meio-campo, além de muito criativo, tem jogadores combativos como Jair, Allan, Zaracho e TchêTchê. Com isso, os laterais podem apoiar mais e permite que os zagueiros tenham posicionamento de antecipação às jogadas. Essa uniformidade de um sistema defensivo que começa lá na frente criou um time cascudo que ainda tem a firmeza de Everson, um goleiro em grande fase.

Segundo o matemático Tristão Garcia, do site infobola.com.br, o Atlético tem 95% de chances de ser o campeão contra 4% do Flamengo e 1% do Palmeiras. O atleticano faz bem em guardar o grito, a segunda estrela amarela, a bandeira e faixa de bicampeão brasileiro. Falta pouco. E quando o dia chegar tenho certeza que a festa vai durar alguns dias e vai pintar BH de preto e branco.

Twitter @armandoBH69

Imagem em destaque: site atletico.com.br.