Interior desafia a capital na disputa do título Mineiro 2022

As semifinais do campeonato Mineiro 2022 colocaram frente a frente, mais uma vez, a força das equipes da capital contra a persistência e ousadia de duas equipes do interior. Atlético, Athletic Club, de São João del Rei, Cruzeiro e Caldense, nesta ordem, fizeram as melhores campanhas na fase de classificação e agora buscarão uma vaga na final única da competição, outra novidade que trará ainda mais emoção e possíveis polêmicas. Os confrontos começam nesta terça, com Cruzeiro x Athletic, e na quarta teremos Caldense x Atlético, e os jogos da volta no fim de semana.

No confronto entre Atlético e Caldense, com vantagem para o time da capital que pode se classificar com dois empates ou uma vitória e uma derrota pela mesma diferença de gols, há um aparente desequilíbrio de forças para Atlético. Digo aparente porque em jogos de mata-mata um dia ruim ou um dia extremamente feliz de um dos lados pode levar à conquista da vaga para a final. Não se comparam os elencos e investimentos e nem mesmo as campanhas até agora com uma vantagem quilométrica para a equipe do atacante Hulk. Para deixar a balança ainda mais pendendo para BH, a Caldense terá que jogar como mandante em Belo Horizonte porque o estádio Ronaldão, em Poços de Caldas, não tem homologação para o uso do VAR – árbitro de vídeo – recurso que está previsto em regulamento a partir das semifinais. Eu diria que o Atlético é mais do que favorito. O time tem obrigação de chegar à final sem dificuldades no confronto contra o time do sul de Minas.

Na disputa entre o Athletic e Cruzeiro, a vantagem dos dois empates é do time de São João del Rei, que ficou em segundo lugar na tabela de classificação da primeira fase. Podemos chamar o jogo de semifinal das SAFs, com dois clubes que se tornaram SAF – Sociedade Anônima do Futebol – recentemente. O Cruzeiro ainda tenta finalizar um tumultuado processo de venda de 90% das ações da SAF para o ex-jogador e empresário, Ronaldo Fenômeno. O Athletic  negociou, no fim do ano passado,  49% das suas ações da SAF para a empresa V2, da dupla de empresários Vinícius Diniz e Victor Oliveira, e tem como destaque desta nova etapa do clube o atacante veterano, Ricardo Oliveira. Dentro de campo, o Cruzeiro com um time renovado e recheado de jovens talentos quer retornar à decisão estadual depois de ter ficado fora das finais em 2020 e 2021.

Entre as duas equipes do interior temos a tradição da Caldense, campeã mineira em 2002, vice-campeã mineira em 2015, de do outro lado a sensação do interior, o Athletic que vive o melhor ano da sua história de 112 anos. Qualquer que seja o resultado que os dois times alcancem na próxima fase já podem se considerar vencedores diante do abismo que há entre os times da capital e interior. Mas é fato que, quando equipe menores focam na competição estadual e trabalham para surpreender, normalmente encontram resultados interessantes como os atuais.

Vale ressaltar que na história do campeonato Mineiro, além de América, Atlético e Cruzeiro, apenas quatro equipes do interior conseguiram o título estadual: Siderúrgica, de Sabará, Villa Nova, de Nova Lima, Ipatinga e Caldense. Chegar a uma semifinal já é uma vitória enorme, ainda mais deixando de fora um time da capital como o América, que ficou apenas em quinto lugar na tabela.

Twitter @armandoBH69

Imagem em destaque: caldense.com.br