Jornada de memórias une moradores e funcionários do Hospital da Baleia

Impossível contar a história do Baleia sem citar hospital que existe desde 1944. Pensando nisso o Radar Leste convidou dois moradores da região e funcionários do Hospital da Baleia para mais essa jornada de doces memórias sobre esse pedaço tão rico da região Leste de BH.

A origem do nome do Baleia vem da antiga fazenda, com o mesmo nome. As outras referências do passado na construção história da comunidade são o córrego Navio-Baleia e o Sanatório e o Hospital da Baleia. Mas, as lembranças da moradora Ana Cristina de Morais Coelho vão mais além.

Ana Cristina trabalha no departamento pessoal do Hospital da Baleia há 28 anos e mora no bairro desde que nasceu, em 1968. Ela se recorda dos piqueniques às margens do córrego e dos passeios na mata, que se encontra com a área verde do Parque das Mangabeiras. O que mais mudou de lá pra cá, segundo ela, foi a característica arquitetônica original do bairro. “Muitos moradores antigos foram morrendo, as casas foram vendidas e as construtoras se aproveitaram para fazer prédios”.

Ana Cristina, na entrada do Hospital da Baleira (Foto Ana)

O senhor José Micael completa 90 anos este mês e 58 deles foram vividos literalmente dentro do Hospital da Baleia. Ele veio da cidade de Raul Soares, na Zona da Mata mineira, e foi logo trabalhar com jardinagem e lavoura na casa de saúde. Pouco depois ganhou uma moradia dentro da área hospitalar e não saiu mais. Mesmo aposentado, o idoso ainda trabalha na área de engenharia, com cilindros de oxigênio. “Minha vida é o hospital, não saio do Baleia por nada. É aqui que eu sou feliz”.

Seu Micael e Ana, juntos no carinho pelo Hospital da Baleia (Foto Ana)

Desde que surgiu, há 76 anos, o Hospital da Baleia foi construindo uma trajetória honrosa no atendimento humanizado e filantrópico. Patrimônio dos belorizontinos, foi fundado por Benjamim Guimarães, é dedicado a pacientes carentes e o atendimento é 88% SUS.

Quer saber mais? Clique aqui e confira.