Ladrões furtam fiação e deixam Santa Casa sem o serviço de radioterapia

Desde a última quarta-feira, 03 de março, a Santa Casa de Belo Horizonte está sem atender os pacientes de radioterapia porque aconteceu um furto de equipamentos que prejudicou sobremaneira o sistema de refrigeração do aparelho do setor. Os criminosos levaram 1,5 m de fio de cobre, uma condensadora de ar-condicionado e cerca de 7 m de tubulação de cobre do ar-condicionado. O fato somente foi percebido no início da manhã. Imagens de câmeras de segurança captaram o momento em que o crime de furto ocorreu e agora a Polícia Civil vai investigar. 80 pacientes da oncologia não puderam ser atendidos pelo hospital.

Esta modalidade de crime ocorre pela motivação do alto preço do cobre que traz um grande prejuízo financeiro ao município, empresas, hospitais, com a falta de energia e principalmente pela interrupção de serviços diversos, como telefonia, internet e neste caso do atendimento de pessoas que buscam socorro no atendimento a um hospital.

Isto reflete muito os problemas sociais de grandes cidades onde pessoas sem condições de se sustentar, acabam vendo uma possibilidade de arrumar alguma quantia em dinheiro no furto de fios de cobre, onde estes são revendidos a receptadores que adquirem o produto sem se preocupar com a origem do produto.

Fica difícil o combate a este tipo de crime relacionado ao furto pois agem na calada da noite, e somente quando ladrão é preso em flagrante, no momento em que está retirando a fiação é possível evitar esta situação. Do contrário, a polícia acaba intensificando as suas buscas em locais onde estes produtos podem ser encontrados nas empresas que comercializam e trabalham com a reciclagem e ferro-velho. Neste caso, o “empresário” é obrigado a apresentar a nota fiscal da compra dos fios de cobre, e não a tendo será indiciado pelo crime de receptação.

Esta reprimenda será muito mais efetiva, já que sem receptador o ladrão perderá o incentivo de praticar o crime de furto destes materiais, pois não terá onde vender. Nesta oportunidade a polícia também irá verificar na empresa quem foi que lhe vendeu aquele produto, facilitando a descoberta do autor do furto o qual será posteriormente indiciado em um inquérito policial.

Furtos de pequena quantidade são realizados por pessoas a pé e normalmente usuárias de drogas, já grandes quantidades por quadrilhas que podem passar a impressão que pertencem a uma empresa especializada no conserto de reparos e consertos de equipamentos com veículos contendo um adesivo com o nome de uma empresa fictícia. Assim, não chamam a atenção, passando despercebidos pela vizinhança até que esta fique sem sinal de internet, semáforo, falta de iluminação ou, na caso, da Santa Casa sem condições de atender a sua clientela.

A população pode ajudar. Quando verificar que alguém está furtando fios em qualquer lugar, ou mesmo mexendo na fiação parecendo ser de uma empresa, informar a Polícia Militar ou mesmo a concessionária do serviço para que as providências sejam tomadas antes que um mal maior venha acontecer. Se for possível, fotografe ou tome nota da placa do carro que estiver realizando o suposto serviço, isto facilitará encontrar os autores do crime.

@elsonmatosdacosta

Fontes:

Jornal O Tempo

abcobre.gov.br

cemig.com.br

Imagem em destaque: Divulgação Santa Casa.