Luxemburgo muda ambiente e Cruzeiro vive o momento otimista

Quando falamos que o futebol é mágico, falamos das variáveis muito além da prática esportiva que fazem o torcedor se encantar e jogadores reagirem a uma mudança de treinador. Olhando a tabela de classificação da série B o cruzeirense tem duas escolhas, a esperança de chegar à parte de cima, entre os quatro que subirão para a série A em 2022, ou a descrença total que terá que enfrentar a segunda divisão pelo terceiro ano seguido. O que vemos de novo Cruzeiro, sob o comando do técnico Vanderlei Luxemburgo, ainda no início do trabalho, é a modalidade esperança crescer a cada jogo.

O treinador tem apenas cinco jogos nesta terceira passagem pelo do time, com 3 vitórias e dois empates, com 73% de aproveitamento, e uma nítida imagem de mudança de ambiente com os jogadores em campo. A cada jogo, e reforço que ainda foram poucos, é possível perceber uma energia diferente no time. Os jogadores mostram uma aplicação, muitas vezes até atabalhoada, que impressiona pela vontade de quem precisa e quer vencer. Se falta técnica a garra tem que garantir mais energia para os resultados.

O Cruzeiro tem mais 18 jogos para fazer em três meses de competição. Precisa de pelo menos mais 13 vitórias e um empate para chegar aos 64 pontos, que segundo o matemático Tristão Garcia, do site infobola.com.br, seriam necessários para garantir o acesso. Sendo assim, a chance matemáticado Cruzeiro, hoje, é de 1%. Mas este número vai variando assim que o campeonato vai sendo jogado. Como o futebol não é matemática pura, vale olhar outra situação. Ano passado, o Cuiabá ficou com a quarta vaga para o acesso conquistando apenas 61 pontos. Se a opção é ficar de olho apenas em números a missão é muito difícil, quase impossível.Os torcedores, jogadores e comissão técnica precisam focar em um jogo de cada vez. São 18 passos, 18 desafios.  Cada adversário, cada dificuldade e cada vitória serão fundamentais para garantir uma vaga na série A.

Os dois próximos jogos são fora de casa, contra o CRB e o Goiás, dois times cascudos, que estão entre os quatro primeiros na tabela da Série B. O CRB tem sido um calo na vida recente do Cruzeiro. Nos últimos cinco jogos, do ano passado para cá, entre Copa do Brasil e Série B, foram duas derrotas do Cruzeiro e três empates.  Já o Goiás, comandado pelo técnico Marcelo Cabo, está em um momento de ascensão no campeonato.Esses confrontos contra CRB e Goiás podem ajudar o Cruzeiro a frear a pontuação dos times que estão na parte de cima da tabela, em caso de vitórias da equipe mineira. E é sempre essa possibilidade de encarar a dificuldade como oportunidade que faz a diferença. E este tem sido o comportamento do Cruzeiro nos últimos jogos. Que siga assim.

Twitter @armandoBH69

Imagem em Destaque: site Cruzeiro.