Mais um crime na pandemia: o golpe da ‘vacina de vento’

‘Xepa’, Fura-filas, Furto… são algumas das manchetes da imprensa que temos visto neste período da pandemia do Covid-19. O desespero que tem tomado conta de grande parte da população, que não quer ser mais uma estatística no número de mortes confirmadas por este vírus. E muito menos ser internado em um hospital e passar todos os percalços de alguém sentindo falta de ar e rezando para a sua recuperação o mais rápido possível, caso consiga uma vaga no CTI e tenha oxigênio.
Os servidores da saúde, pela proximidade com os atingidos pelo vírus, que atendem de forma heróica, pois podem ser contaminados, e muitos o foram, tornaram-se figuras-chaves neste combate mundial. Ao mesmo tempo, alguns poucos, mínimos, acabaram se envolvendo em polêmicas de forma inocente, alegando cansaço em um trabalho estressante como este, por exemplo, ou por má fé, no sentido de desviar a vacina para algum parente ou mesmo vender.

O funcionário da saúde que pratica este crime pode ser indiciado por Peculato que é o desvio de bens pertencentes ao estado, sujeito a uma pena de 2 a 12 anos, previsto no art. 312 e no art. 268, ambos do Código Penal Brasileiro que trata de infração de medida sanitária preventiva, com pena de detenção de um mês a um ano. Este crime consiste em infringir determinação do poder público, destinado a impedir a introdução ou propagação de doença contagiosa. Ao mesmo tempo, o funcionário, com certeza, sofrerá uma sanção administrativa com a sua demissão, caso tenha agido de forma dolosa.
Diante destes casos da chamada ‘Vacina de Vento’, as pessoas perguntam? Posso filmar o momento em que estou sendo vacinado? Sim, pode, desde que não filme o funcionário que tiver aplicando a vacina caso ele não concorde. Nestes casos em que acontece a chamada Vacina de Vento é uma prova incontestável.
Reafirmo, é uma chance muito pequena que isto venha a ocorrer, mas não custa nada prestar atenção. Por exemplo, olhar quando o ingrediente da vacina é colocado na seringa. Se o êmbolo é pressionado até o final com a agulha já aplicada no braço. É normal o profissional da saúde mostrar o frasco da vacina e explicar o que irá acontecer, dando alguns detalhes sobre lote, marca, validade, apesar de que em uma vacinação em massa, dificilmente terão tempo para dar todos estes detalhes.
Então para ter certeza de que a vacina foi aplicada, é preciso ver se tem o líquido dentro da seringa, a agulha aplicada no braço, o êmbolo pressionado até o final para que a vacina penetre no músculo.
Por favor, não deixe de vacinar quando chegar a sua vez. Se proteja, bem como a quem você ama, pois estando vacinado é um a menos para propagar a doença, principalmente de quem você gosta.
Fonte: g1.globo.com
Instagram @elsonmatosdacosta