Morador do Taquaril denuncia lixão clandestino na porta de casa

Imagine tentar sair de carro e não conseguir porque há uma montanha de lixo bem na entrada da garagem? Já pensou em dormir e acordar com o mau cheiro provocado por animais mortos, restos de alimentos e toda a quantidade de sujeira? Essa tem sido a rotina de um motorista de caminhão desde que apareceu um bota-fora clandestino na porta da casa dele.

Rua Gil Eanes, bairro Taquaril, na região Leste de BH. Uma torre gigantesca da Cemig (Companhia Energética de Minas Gerais) e a portaria de uma fazenda não são os únicos pontos de referência para quem precisa chegar a casa do motorista de caminhão Roberto Dias e de alguns vizinhos. Desde o início do ano um lixão clandestino indica o caminho até o caminho até a eles.

Este é o cenário que o Roberto vê ao sair de casa (foto Roberto Dias)

Segundo Roberto, o problema surgiu pouco depois que a Prefeitura de Belo Horizonte acabou com um lixão clandestino nas proximidades da rua Gil Eanes. Ele acredita que as pessoas ficaram sem onde fazer o bota-fora e escolheram a porta da casa dele como novo ponto de despejo de todo tipo de detrito. “Há dias em que não consigo manobrar o carro”, reclama.

O motorista de caminhão teme pela saúde dele e dos vizinhos porque o lixo atrai insetos e ratos que entram nas casas. E aponta para um risco maior: que alguém coloque fogo na área e as chamas atinjam a torre da companhia de energia. “Não precisava acontecer nada disso. O caminhão da SLU (Superintendência de Limpeza Ubrbana) faz coletas três vezes por semana, mas as pessoas não querem esperar o dia certo”.

Um verdadeiro lixão clandestino se formou na porta da casa do Roberto (foto Roberto Dias)

Posicionamento da Prefeitura de Belo Horizonte

O endereço citado é um ponto crítico de deposição clandestina de lixo. A SLU limpa o local a cada 15 dias, recolhendo cerca de 65 toneladas de resíduos em cada limpeza, mesmo após campanhas educativas na região. A próxima limpeza está programada para o dia 8 de setembro.

O local também é atendido com serviços de coleta domiciliar três vezes por semana (segunda, quarta e sexta-feira). A SLU solicita a colaboração dos cidadãos para a manutenção da limpeza no local.  A Prefeitura de Belo Horizonte informa ainda que o cidadão pode solicitar os serviços pelo PBH APP ou pelo site www.pbh.gov.br. A administração municipal segue uma sequência no atendimento, tratando como exceção apenas demandas emergenciais.

O posicionamento da Cemig

A Cemig (Companhia Energética de Minas Gerais) informa que é proprietária do terreno em questão, compreendido pela faixa de segurança sob a Linha de Alta Tensão que interliga as subestações de Santa Efigênia e Taquaril, com tensão de 138 mil Volts.

A empresa informa, também, que mantém de forma regular a limpeza do local, porém, logo que o trabalho é feito, surgem novos montes de entulhos e descartáveis depositados irregularmente no local.

Por fim, a Cemig esclarece que, com o intuito de impedir a deposição clandestina e irregular de materiais no local, já iniciou processo de contratação para a construção de um muro de proteção no entorno do loteamento.