Novembro Roxo: os cuidados e riscos que envolvem a prematuridade

De acordo com dados da Organização Mundial de Saúde (OMS), a prematuridade – nascimento antes de 37 semanas de gestação – é a primeira causa de mortalidade infantil em todo o mundo. Segundo dados da UNICEF e do Ministério da Saúde, 11,7% de todos os partos realizados no País são prematuros. Confira nesta entrevista com o coordenador médico da Neonatologia da Santa Casa BH, doutor José Mariano Sales Alves Júnior, a importância da campanha Novembro Roxo para informar e orientar para ações de sensibilização sobre o tema.

Doutor José Mariano Sales Alves Júnior. Foto SCBH

Radar Leste BH – Quando surgiu o Novembro Roxo e qual é a finalidade desta campanha?

O Novembro Roxo é uma campanha voltada para a causa da prematuridade, que tem o objetivo de levar informação e suporte às famílias cujos bebês nascem prematuros. Esse mês foi escolhido por conta do Dia Mundial da Prematuridade (17/11), criado em 2009 para chamar atenção para um problema que atinge 15 milhões de crianças todos os anos ao redor do mundo. Atualmente, a data é celebrada em mais de 50 países, com o intuito de se pensar em estratégias para diminuir a taxa de prematuridade.

Radar Leste BH – Quais são as características de um bebê prematuro? O parto antecipado é a principal delas?

Bebês prematuros são caracterizados por idade gestacional menor que 37 semanas e peso ao nascer inferior a 2500g. Nem todo bebê com menos 2500g é prematuro, mas a maioria deles pesam menos que 2500g. Além disso, eles apresentam características ao serem examinados como a pele mais fina, orelhas mais achatadas, planta dos pés menos enrugadas, glândulas mamárias menores, entre outros. Soma-se a isso a imaturidade dos sistemas respiratório, renal e digestório. O parto, quando ocorre antes de completar 37 semanas, é a definição própria de prematuridade.

O pré-natal diminui os riscos da prematuridade. Foto Pixabay

Radar Leste BH – O pré-natal bem feito diminui as chances de um nascimento prematuro?

O pré-natal bem feito é uma das principais estratégias para prevenção da prematuridade, mas mesmo mulheres submetidas ao melhor pré-natal, ainda assim podem dar à luz a recém-nascidos prematuros.

Radar Leste BH – A grávida precisa estar atenta a quais sinais de perigo na gravidez?

Contrações uterinas ou ruptura das membranas antes de 37 semanas, assim como o aumento da pressão arterial estão entre os sinais de risco para prematuridade.

Radar Leste BH – Que avanços a neonatologia tem apresentado nos últimos anos?

Os avanços tecnológicos são inúmeros, entre eles está o uso do surfactante, uma substância instilada nos pulmões de alguns prematuros que é responsável pela melhor função respiratória após o nascimento. Destaco também a ação de outros profissionais no atendimento ao prematuro: enfermeiras mais treinadas, fisioterapeutas respiratórias especializadas, fonoaudiólogas e psicólogos que ajudam muito a cuidar dos pais e familiares.

Radar Leste BH – Qual é a colocação do Brasil no ranking mundial da prematuridade?

As taxas mundiais de prematuridade variam em torno dos 10% e o Brasil está nessa média. A questão aqui são as desigualdades inerentes à condição social da população, ou seja, a ponta da pirâmide social apresenta taxas muito menores que as que encontramos na base.