O tão esperado clássico na final do Mineiro

Um jogo. Duas torcidas divididas meio a meio no Mineirão, maior palco do esporte em Minas Gerais. Um título. Um dia que o estado vai parar. Será assim o sábado, dia 2 de abril, quando Atlético x Cruzeiro farão a grande decisão do campeonato Mineiro 2022, em jogo único. Será preciso que um vença para se tornar o campeão da temporada. O Atlético busca o tricampeonato que não conquista desde 1980 e o Cruzeiro volta a jogar uma final estadual após ficar fora em 2020 e 2021. São 46 títulos do Atlético contra 38 títulos do Cruzeiro.

Para o Atlético, melhor time do Brasil na temporada passada, elenco milionário, prestes a inaugurar o próprio estádio, e em clima de lua de mel com sua imensa torcida, a vitória é uma obrigação. Por mais que muitos torcedores, jogadores, dirigentes e colegas de imprensa tentem contemporizar, de maneira fria e objetiva é sim uma obrigação técnica de ficar com a taça. Não há comparação entre os elencos e sobre o entrosamento e capacidade de conquistar resultados quando falamos dos atuais times de Atlético e Cruzeiro.

Mas do outro lado está um campeão ferido, gigante, e com uma torcida esperançosa. O time que tem mostrado uma entrega e um equilíbrio que enchem de orgulho e motivação cada torcedor azul. Como não acreditar que é possível bater o Atlético depois de ver o time jogar com a força e dedicação que temos visto? O próprio clássico vencido pelo rival na fase de classificação, com polêmica ou não, foi um jogo equilibrado.

Neste cenário de opostos e de muitas semelhanças também, acredito que veremos um dos clássicos mais emocionantes dos últimos anos. Vale mais do que um título. Vale a não derrota para o rival. Jogo único valendo a taça é algo que não temos entre os dois times há muito tempo. São apenas 90 minutos. Não há vantagem no regulamento para nenhuma das partes. Se a partida terminar em empate a decisão vai para os pênaltis.

Para coroar este dia mágico do futebol estadual será preciso que tenhamos um dia de disputas apenas em campo. Que torcedores e forças de segurança possam garantir um dia de paz, não só no Mineirão e arredores, mas em todo o estado. Um dia de disputa esportiva e nada mais. Não aceitamos mais violência em nome de uma paixão, por mais que vivamos um momento de agressividade e impunidade que alimentam a intolerância. Que vencedores e vencidos possam estar com suas famílias no domingo, dia 3, celebrando ou buscando forças para encarar o próximo desafio. É mais do que um jogo. Sempre será. Vai além de ganhar ou perder. É para se emocionar e aprender, seja com a faixa de campeão ou sem ela.

Twitter @armandoBH69

Imagem em destaque: site minha torcida