Perdoar não é esquecer, nem concordar: é escolha!

Perdoar  é uma decisão no que se refere às questões internas que perturbam a nossa paz e a paz do outro. Perdoar é escolha. É reconhecer que alguém errou contra nos. Muitas vezes fomos nós mesmos que cometemos alguma falta contra nós, percebemos isso quando magoamos alguém que é muito importante para nós e essa pessoa se afasta.

Perdoar não é esquecer, nem concordar. É compreender o nível mental, emocional e sentimental em que eu estou, e aprender a empatia sobre o outro, mesmo nas situações mais difíceis e inexplicáveis. Cada um faz o que acredita. Perdoar ou relevar, quem não precisa que o outro releve tantas questões difíceis, ainda não resolvidas que temos em nós e nos faz ter reações e atitudes tão difíceis para nós mesmos e para o outro.

Quantas vezes temos reações e atitudes que em outro momento ficamos envergonhados, embora nem sempre admitirmos, isso também é uma escolha. Não existem coincidências na vida, o que chamamos de coincidências são resultados do processo das leis de atração, ou ação e reação. O importante é olhar para as situações e sempre se perguntar: o que eu preciso aprender com isso?

O aprendizado é sempre sobre nós mesmos, sobre quem e o que somos nós na verdade. A vida é feita de experiências e lições que teremos que enfrentar para aprender a lidar e seguir adiante. Não há retrocesso, mas seguir em frente, sempre. Perdoar abre possibilidades, e rompe com a dor que aprisiona nossa alma porque assumimos a responsabilidade dos nossos sentimentos.

O perdão precisa ser um exercício diário que começa pelo treinamento de aprender a relevar, a perdoar a si mesmo, pelo que me é possível nesse momento, e a partir daí, perdoar o outro. Perdoar fala de compaixão pelos limites que cada um se impõe a si mesmo. Limites esses que vêm de crenças que herdamos do meio onde vivemos do país, família, enfim.

Existem inúmeras formas para nos ajudar no processo do perdão. Comece observando sem julgamentos as suas emoções e sentimentos em relação a alguém que você sente que te magoou, se pergunte o por que você está se sentindo tão magoado, e onde essa mágoa está em você.

Não deixe a raiva e a revolta se apossar de você, permita-se trocar a forma de olhar e sentir. Perceba que quanto mais tempo você guardar sua dor e mágoa, mais tempo você vai sofrer, porque a revolta e a magoa destroem as esperanças e aumenta o sentimento de desamor.

Faça o “ho’oponopono” todos os dias, primeiro para você mesmo e em seguida para o outro. Para quem não conhece o ho’oponopono, são quatro frases mágicas para nossa cura interna: “Eu sinto muito. Me perdoe. Eu te amo. Gratidão.”

Imagem em destaque: jornal Hoje em Dia.