Pichações se alastram por fachadas, portões e mudam a aparência da Leste

É só sair de casa para perceber: as pichações tomaram conta da região Leste e da cidade inteira. As escritas e rabiscos, dificilmente removíeis, são uma forma de expressão com significados incompreensíveis para muitos de nós.

Portão pichado muda a paisagem do bairro Floresta

O que poucos sabem é que, diferente do grafite, a pichação é um crime ambiental. A pena de detenção varia de 3 meses a 1 ano podendo ser agravada em até 6 anos, em caso de pichações em monumentos históricos ou tombados, além de multa.

O grafite é considerado uma forma de expressão artística contemporânea. Conta com o consentimento do proprietário e autorização, em caso de edificações públicas.

Grafitagem na fachada da Central de Frio. Foto: Negro Fred

O grafite é tão respeitado comparado a pichação, que temos várias empresas no segmento que criam obras de grafite para residências e até mesmo em repartições públicas.

 

 Esta pichação não teve autorização do dono do imóvel

A seguir o número de ocorrências envolvidos pichações em Belo Horizonte este ano:

  • – 2018 (janeiro a dezembro) ……. 125
  • – 2019 (janeiro a dezembro) ……..883
  • – 2020 (janeiro a dezembro) ……..44
  • – 2021 (janeiro a 26 de agosto) ….25

 A Guarda Civil Municipal atua no combate aos crimes de danos ao patrimônio público por meio do patrulhamento preventivo, com rondas periódicas realizadas 24 horas por dia nas praças, parques e imediações de unidades de Saúde, de Educação e de demais instalações da Prefeitura.

 As ações de prevenção são otimizadas com o apoio do monitoramento de imagens captadas pelo Centro de Operações da Prefeitura de Belo Horizonte (COP-BH), com 2.595 câmeras espalhadas pela cidade, que possibilitam a identificação e prisão em flagrante de autores, bem como o encaminhamento dos envolvidos às Centrais de Flagrantes (Ceflans) da Polícia Civil, para as devidas providências.

A população também pode auxiliar, denunciando casos de vandalismo pelo telefone 153 ou pelo 190.