Polícia tenta manter a ordem em comunidade novamente

O Rio de Janeiro é considerado a Cidade Maravilhosa pelos seus encantos naturais e pelo povo altamente receptivo. Mas, infelizmente sempre volta aos noticiários quando se trata de violência urbana. Várias ações de Estado já foram empregadas no sentido de minorar a situação, onde grupos organizados, milícias ou traficantes de drogas acabam dominando grande partes de comunidades e a Polícia precisa agir e de forma vigorosa, da mesma forma como é recebida.

Em 2008 foram criadas as UPPs – Unidades de Polícia Pacificadora – onde o Estado deveria se fazer presente quando apenas a criminalidade mandava e todos obedeciam. As UPPs tinham a finalidade manter policiais implantados dentro das comunidades e assim expulsar os criminosos daqueles locais.

Em 28 de novembro de 2010 aconteceu uma mega-operação no Complexo do Alemão, onde Polícia Militar, Polícia Civil, Polícia Federal, Exército, Marinha e Aeronáutica com cerca de 2.600 agentes fizeram com que marginais corressem aos bandos de sua “casa” com filmagem ao vivo pela TV. Imagens estas que correram o mundo.

No último dia 19, 1.200 policiais cariocas voltam a ocupar a Favela do Jacarezinho bem como as comunidades da Muzema, Tijuquinha e Morro do banco na zona oeste do RJ. Trata-se do início de um outro projeto no sentido de que o Estado consiga ter o domínio sobre o município, projeto este denominado Cidade Integrada onde haverá investimentos em obras e ações sociais.

Essa operação tinha a finalidade de cumprir 42 mandados de prisão, treze ordens de apreensão de adolescentes e uma de busca e apreensão. Felizmente desta vez não ouve nenhum confronto armado e não colocando a vida em risco de pessoas inocentes. Esta ocupação não tem data para finalizar.

Ainda não foi informado pelo governador Claudio Castro quais ações o estado irá realizar, além desta ocupação policial, mesmo porque é necessário que os moradores também sejam ouvidos e o que eles realmente desejam para o local onde vivem com suas famílias. Inicialmente o que se sabe é que as Delegacias irão trabalhar nas investigações e prender os envolvidos nas organizações criminosas, a PM irá patrulhar as ruas e avenidas e complementando com intervenções urbanísticas e sociais.

Esperamos sinceramente que este novo projeto para o Rio de Janeiro dê muito certo a toda a população dos locais onde houver estas intervenções, e que não sejam apenas com a presença do estado através da polícia, mas sim combinado com diversos programas que possam auxiliar a muitas pessoas a conseguirem sair da pobreza e se tornarem cidadãos de bem com um emprego digno e onde possam educar seus filhos para trilharem o melhor caminho na sociedade. E que não dure apenas até o dia das eleições deste ano.

@elsonmatosdacosta           

Fonte: g1.globo.com

Imagem em destaque: Folha Uol.