Precisamos estar mais conscientes de nós mesmos no aqui e agora

A capacidade de compreender a si mesmo e ao outro, e buscar  amenizar o sofrimento pode ser nomeado também nomeado de compaixão. Todos temos dificuldades para lidar com as experiências e desafios que vivemos  a cada dia. Aprender a nos conectar com a compaixão por nós mesmos e pelo outro, buscar diariamente fazer para os outros o que gostaríamos que os outros fizessem  por nós, pode ser um caminho mais fluido para se viver.

A compaixão fala de aprendermos a amparar uns aos outros, começando em si mesmo, através da observação das atitudes e palavras infelizes que temos e falamos nos momentos de irritação e desânimo. Quantas vezes nos sentimos envergonhados e gostaríamos de anular o que fizemos ou falamos?

Vivemos cercados de situações e pessoas que muitas vezes estão num lugar interno negativo, acusam, censuras. Precisamos trabalhar a nós mesmos para aprender a ser empáticos e não entrar na energia que não nos pertence, e aprender a ter compaixão, mesmo por aqueles que não gostamos.

Perceba o quanto somos gratos quando somos acolhidos com suavidade e entendimento quando temos um comportamento imaturo ou infeliz, nas decisões, equivocos  e atos impensados que fazemos, e que só despertamos, pelo equivoco praticado, quando vemos a consequências negativas, tanto para nós quanto para o outro.

Façamos um esforço em favor de nós mesmos, porque se não aprendermos a olhar para nós, a nos aceitar com todas as dificuldades que ainda temos, se não aprendermos a nos amar, a sentir compaixão, quem fara isso por nós? O amor, a compreensão e tolerância precisam fazer parte do que acontece dentro de nós. Aprender a agir de forma que quando alguém fizer comentários negativos a respeito de outros ou da vida, possamos ter uma palavra positiva de estímulo, confiança e esperança. Isso é aprendido.

Aprender a estar mais consciente de nós mesmos, no aqui e agora. É um processo gradativo que começamos pela observação em nós, e de como lidamos com nossas dificuldades e com o outro. Aprender a apenas observar e não julgar. Esse é um treinamento diário. No início passamos a perceber que tivemos uma atitude não empática, com o tempo vamos aprendendo a parar nossas atitudes e comportamentos nocivos a nós e aos outros, e com o trabalho interno de autoconhecimento, autoaceitação e autopercepção, aprenderemos a nos perguntar internamente, antes de agir, se tal atitude ou fala é útil ou bom para nós  e para o outro. É uma escolha.

Imagem em destaque: cocoparisienne por Pixabay.