Psoríase: como tratar esta doença crônica que ainda não tem cura

A psoríase é uma doença inflamatória, crônica, que acomete igualmente homens e mulheres. Manifesta-se principalmente por lesões na pele, geralmente como placas avermelhadas, espessas, bem delimitadas, com descamação, que podem surgir em qualquer local do corpo. A dermatologista Michelle Diniz, responsável pelo ambulatório de Psoríase e Imunologia da Santa Casa BH, explica quais são os tipos da doença, os cuidados necessários no dia a dia e como é feito o tratamento regular, já que ainda não foi descoberta a cura.

Doutora Michelle Diniz tira as dúvidas sobre a psoríase. Foto SCBH

Radar Leste BH – Quais são as características da psoríase? É uma doença genética?
A Psoríase é uma doença inflamatória crônica da pele e das articulações que ocorre em indivíduos geneticamente predispostos. Vários genes já foram identificados associados a essa doença. Clinicamente, apresenta-se principalmente com manchas e placas avermelhadas e descamativas localizadas principalmente nos cotovelos, joelhos e couro cabeludo, mas pode comprometer todo o corpo e também as unhas em cerca de metade dos pacientes.

– Radar Leste BH – Além do fator genético, há outros que podem fazer a doença evoluir?
Além da predisposição genética existe uma alteração do sistema imunológico. Alguns fatores ambientais podem desencadear ou piorar a doença como o estresse, infecções, tabagismo e o uso exagerado do álcool.

-Radar Leste BH – Existem tipos de psoríase?
Sim. A forma mais comum é a psoríase em placas que corresponde a cerca de 80% dos pacientes e que se apresenta com lesões avermelhadas e descamativas. Podemos ter também a forma com manchas avermelhadas e pus que, quando ocorre em grandes extensões do corpo, pode ser muito grave.

A forma invertida com comprometimento das axilas, virilha e região inframamária .A forma palmo plantar com comprometimento específico dessas regiões e a forma eritrodérmica na qual temos descamação generalizada. Felizmente, 80% dos casos são leves e as variantes mais graves, bem raras.

– Radar Leste BH – Psoríase não tem cura, mas tem tratamento?
Ainda não temos a cura da doença, mas muitos tratamentos disponíveis que conseguem controlar de forma satisfatória as lesões proporcionando uma ótima qualidade de vida. Os tratamentos podem variar desde cremes até fototerapia, medicações orais e os imunobiológicos para os casos mais graves.

– Radar Leste BH – Quais são as recomendações médicas para lidar com psoríase no dia a dia? Hidratação, evitar a exposição excessiva ao sol são recomendáveis?
A hidratação da pele regular é bem importante e seguir o tratamento proposto pelo dermatologista. Como doença crônica, a adesão ao tratamento é fundamental para a melhora do paciente. A radiação ultravioleta do sol em quantidade controlada melhora as lesões.

A fototerapia é uma opção terapêutica (fototerapia é tratamento feito no consultório médico em máquinas que emitem radiação UVB e UVA). Deve-se evitar exposição solar intensa já que queimaduras solares podem agravar as lesões além do risco de câncer de pele.

– Radar Leste BH – Visitar o dermatologista regularmente e seguir as orientações médicas ajudam a conter as crises?
Sim. O tratamento regular é correto é o que vai proporcionar uma melhora das lesões e da qualidade de vida do paciente.