Síndrome do coração partido; quando a dor emocional atinge a saúde

Uma situação forte de estresse, a perda de alguém querido… Esses podem ser os gatilhos para desencadear a Síndrome do Coração Partido. Nesta entrevista, o cardiologista da Santa Casa, Vinícius Pereira Dourado, desmistifica a conotação romântica da doença e orienta sobre os cuidados.

Vinícius Pereira Dourado, cardiologista a Santa Casa. Foto: SCBH

Radar Leste BH – O que é a Síndrome do Coração Partido? Por que tem esse nome?

A Síndrome do Coração Partido é uma doença que acomete o músculo do coração de pessoas submetidas a situações de grande estresse. Causa dor no peito,  alterações no eletrocardiograma e nos exames de sangue,  quadro muito parecido com um infarto. A doença tem esse nome porque o coração assume o formato de um 8, parecendo que foi partido ao meio.  Por isso, é chamada também de Takotsubo– uma armadilha neste formato que os japoneses usavam para caçar polvos.

Perdas e estresse provocam a doença. Foto: Pexels por Pixabay

Radar Leste BH – Quais são os sinais que apontam para a possibilidade de alguém estar com a síndrome? Ela pode matar?

É comum ocorrer dor forte no peito após situação de grande estresse, seja no trabalho, família ou pela morte de alguém querido. Quando há um enfraquecimento mais importante do coração, pode haver também cansaço e falta de ar. Em geral, esta síndrome é autolimitada, ou seja, o paciente se recupera em poucos dias.  Emcasos raros pode haver um enfraquecimento do coração ou arritmias que levem à morte.

Radar Leste BH – Como é o tratamento? Tem cura?

O tratamento deve ser feito em ambiente hospitalar,  com medicações que estabilizem o coração, os pulmões e que diminuam os sintomas  até que o paciente se recupere.  Cabe lembrar que é importante que a investigação seja bem feita uma vez  que esse quadro pode se confundir com um infarto.

Radar Leste BH – Apesar de leigos tratarem a síndrome com um certo romantismo, é uma disfunção que precisa ser tratada com seriedade?

Sim. O coração tem na nossa sociedade uma representatividade muito grande,  de um órgão ligado ao amor e  aos sentimentos. E nessa síndrome curiosamente esses sentimentos são capazes de lesar de forma grave o coração. Por isso fica o alerta.  É muito importa é cuidar do coração, em todos os sentidos.