Situação dos voluntários da Defesa Civil preocupa liderança da Leste

As enchentes, os desmoronamentos e a vulnerabilidade das áreas de risco sempre são notícia no período chuvoso. Um problema que se repete ano após ano. Você sabia que foi na região Leste que surgiram os primeiros trabalhos dos voluntários que atuam nos núcleos de Defesa Civil (Nudec) e de Alerta de Chuva (NAC)?

   A rádio foi desativada e o lugar está fechado. Arquivo Edneia

A líder comunitária do Taquaril, Edneia de Souza, sabe como esse trabalho voluntário começou e a importância dele para salvar vidas nos momentos emergenciais. Foi nos anos 1990 que, através da rádio comunitária, os moradores do bairro recém-criado eram informados sobre os riscos de desmoronamentos e muitas vidas foram salvas de lá pra cá. Pra quem não sabe, o solo do local é composto por filito, suscetível a deslizamentos e inapropriado para a construção.

Enquanto a solução não vinha – e não chegou até hoje – por obras estruturais e vontade política, Edneia e outras lideranças tinham, além da rádio, o contato pessoal com os moradores. Esse trabalho diferenciado teria despertado na Defesa Civil a intenção de treinar grupos de voluntários nas áreas de risco da capital. “Mas, essa iniciativa tão valiosa está em franca desarticulação”, denuncia Edneia.

O trabalho dos voluntários virou notícia. Arquivo Edneia

Segundo a líder comunitária, a rádio comunitária do Taquaril não existe mais e, na administração do prefeito Alexandre Calil, foi fechada a casa onde funcionava o Centro de Referência em Área de Risco. “Levaram tudo: dos móveis e até o telefone. Para piorar, com a pandemia fica difícil sair pelas ruas e fazer a mobilização . Temos que respeitar as regras de isolamento”.

Outra situação que aflige Edneia é a falta de renovação dos voluntários. Alguns integrantes, como mãe dela de 81 anos, são do grupo de risco e não têm mais a vitalidade de antes. Outro membro do grupo sofreu um aneurisma e está incapacitado para a atividade. ”Dá um desespero! Já tivemos mais de 500 voluntários em BH. Hoje esse número deve estar por volta de 100”.

 O que diz a PBH

Para ajudar no trabalho de prevenção e de socorro, o Sistema Municipal de Defesa Civil conta com os Núcleos de Defesa Civil (Nudec). Eles são formados por cidadãos da comunidade que, através do trabalho voluntário e solidário, contribuem com ações preventivas nas áreas de risco, além de orientar e prestar socorro mais imediato nas situações de calamidade e emergência.

Os integrantes do Nudec aprendem como agir e orientar os moradores nos períodos de chuvas intensas e prolongadas, sobre os indícios de trincas nas moradias, movimentação de terreno e elevação do nível das águas de córregos e ribeirões. Os voluntários também recebem os alertas de chuva que são transmitidos para a comunidade.

Além dos Núcleos de Defesa Civil (Nudec), a Prefeitura ainda conta com a participação dos Núcleos de Alerta de Chuva (NAC) que são formados por voluntários moradores e trabalhadores que atuam em áreas de risco, alagamento e inundação. Estes voluntários têm um papel importante na mitigação de riscos em caso de chuvas fortes.

Durante o ano eles participam de atividades de capacitação oferecidas pela Urbel e realizam treinamento de formação e reciclagem ministrado pelo Corpo de Bombeiros. Eles também aprendem como agir e orientar os moradores nos períodos de chuvas intensas e prolongadas e recebem os alertas de chuva que são transmitidos para a comunidade.

A Prefeitura de Belo Horizonte conta com a participação de aproximadamente 800 voluntários, abrangendo 100 núcleos em vilas, favelas e áreas de risco da capital. Somente na regional Leste são aproximadamente 50 núcleos.

Você conhece a história do Taquaril? Relei a reportagem.

Pompéia e Taquaril guardam histórias marcantes da região Leste de BH