Supercopa do Brasil tenta se firmar no calendário do futebol

Domingo, dia 20 de fevereiro, em Cuiabá, Mato Grosso, será disputada a quinta edição da Supercopa do Brasil, competição que deveria reunir o campeão brasileiro e o campeão da Copa do Brasil. Como o Atlético venceu as duas competições em 2021, o regulamento prevê que o confronto para esse troféu seja disputado pelo Galo e o vice-campeão brasileiro, o Flamengo.

Para muitos torcedores o jogo se torna sem sentido porque o Atlético venceu as duas competições que credenciam os dois participantes ao torneio. Mas assim como em algumas edições de Supercopa na Europa, como Inglaterra, Espanha e Itália, por exemplo, o regulamento da Supercopa do Brasil faz essa ressalva de confronto contra o vice-campeão brasileiro, caso a mesma equipe vença o Brasileirão e a Copa do Brasil, para manter o torneio no calendário.

Na Espanha, por exemplo, até 1989 não havia a previsão do confronto se a mesma equipe fosse a campeã da Liga e da Taça do Rei. Com isso, em duas edições, em 1984 e em 1989, Athletic de Bilbao e Real Madrid ficaram com a taça sem entrar em campo. Hoje em dia, se uma equipe vencer as duas principais competições do país, a Supercopa é disputada com a presença do vice-campeão da Taça do Rei. E curiosamente, em duas temporadas o vice-campeão da Taça do Rei conquistou a Supercopa.

No Brasil, vale lembrar que a Supercopa faz parte no calendário oficial da CBF, atrai interesse econômico como patrocinadores e direitos de transmissão. E por isso, é fundamental manter o confronto, mesmo que tenhamos um mesmo time vencedor do Brasileirão e da Copa do Brasil. A premiação paga para o campeão é de R$ 5 milhões para o campeão e R$ 2 milhões para o vice-campeão.

Para a edição de 2022 os bastidores estão mais aquecidos do que o normal. Primeiro pela demora em definir um local para partida. Passou por Brasília, proposta dos Estados Unidos, Atlético propôs Mineirão, foram cogitadas as cidades de Natal, Fortaleza e Salvador e só no dia 8 de fevereiro foi confirmada a partida para a Arena Pantanal, em Cuiabá, no Mato Grosso. Depois disso, ainda houve o disse e disse por causa da reserva de hotel em Cuiabá. O Flamengo teria feito a reserva com informações privilegiadas. O Atlético reclamou. Agora, outro ingrediente é o fato de o Atlético só querer chegar à cidade de Cuiabá na véspera do jogo, mesmo o regulamento prevendo que a chegada das equipes deve ser três dias antes da partida para que os dois times possam seguir um protocolo comercial e de valorização da competição. O Flamengo reclama desta proposta do Atlético. Fato é que novos ingredientes podem surgir a cada instante para aumentar a rivalidade do torneio.

A Supercopa foi idealizada nos anos 90. Naquela época foi disputada apenas duas vezes com Grêmio vencedor em 1990 e Corinthians em 1991. O torneio retornou ao calendário em 2020 e teve o Flamengo vencedor e o time carioca voltou a ganhar a taça ano passado.  Para domingo, Atlético e Flamengo farão o tão esperado confronto que era desejado ano passado nas competições mata-mata, na Copa do Brasil e na Libertadores, mas acabou não acontecendo. O jogo passa a ser então um ótimo teste para a temporada de 2022 e chance para colocar alguns milhões no cofre e mais uma taça na galeria de conquistas dos dois gigantes do futebol brasileiro.

Twitter @armandoBH69

Imagem em destaque: Gil Gomes/AGIF.