Tive dados do celular furtados: o que devo fazer?

Hoje em dia o mais comum é que a tecnologia esteja presente nas mãos de quase todos os brasileiros através de um telefone celular ou de computadores. É onde nos encontramos para rever amigos de longa data assim como fazer novos, procurar por assuntos que temos pouco conhecimento e precisamos nos instruir a respeito, fazer propaganda de algum produto para vender, namorar, etc. E o mais cômodo e também perigoso em determinados momentos, realizar nossas transações financeiras via um simples telefone celular, onde todas as informações estão disponíveis. Quando foi a última vez que estivemos presencialmente em um banco enfrentando filas nos caixas ou para falar com o gerente? Quase não utilizamos mais esta modalidade “antiga” de sacar ou efetuar qualquer transação presencialmente.

Esta é a realidade dos dias de hoje, quase tudo pode ser resolvido via internet. A facilidade de resolver diversos problemas nesta modalidade nos traz também problemas no que diz respeito a todas as informações que temos no celular, por exemplo, que está conosco 24 horas por dia. Caso alguém subtraia este importante instrumento de lazer e de trabalho, a sua vida irá sofrer uma reviravolta até que consiga resolver parte do problema. Os dados ali inseridos no telefone serão vasculhados e utilizados indevidamente.

A Polícia Civil e a Polícia Federal, responsáveis pela apuração de crimes ocorridos nesta área estão plenamente preparadas para o combate a estes delitos, onde ocorrem os saques as contas bancárias de seus proprietários. Todos que tem um celular devem saber o numero do IMEI, que é a identificação, seria, a grosso modo, o numero do chassi do seu celular. Para encontrá-lo, digite: *#06# e aparecerá o numero. Anote-o, facilitará o bloqueio do aparelho junto a sua operadora.

Se ainda não havia descoberto o numero do seu IMEI até que o celular tenha sido furtado, ainda assim é possível descobrir o código. No sistema Android, acessar: “Encontre meu dispositivo” e clicar no ícone “I“ ao lado do nome do celular. No sistema iOS, acessar “Buscar meu iPhone”, menu Dispositivo, clicar no ícone do celular perdido que o IMEI será exibido.

O proprietário ainda deve tomar o cuidado de tomar outras providências como formatar o aparelho à distância. Ao dar este comando o aparelho é formatado se estiver conectado, caso não esteja naquele momento, tão logo  haja uma conexão, ocorrerá a formatação. Nos aparelhos Apple entrar no site do iCloud ou no software de antivírus no caso do Android. Seria a solução mais adequada mesmo que perca todas as informações do seu aparelho, podendo salvar o que estiver em armazenamento em nuvem.

Outra dica muito importante é colocar uma senha no seu chip, que é diferente daquela senha que você usa para desbloquear o seu aparelho”. Segundo Fábio Assolini, analista da Kaspersky, isso faz com que os criminosos não consigam acessar o seu chip de outro aparelho.

Não use a mesma senha, pois alguns aparelhos tem uma aba onde estão todas as senhas salvas. As senhas de bancos principalmente ou outras importantes não devem ficar visíveis em “lembretes”, por exemplo, irá facilitar ao criminoso encontra-las.

Cartão de crédito, o interessante seria gerar um cartão virtual para cada compra, ele é gerado pelo próprio banco em seu aplicativo e são temporários. comprou, pagou ele fica inerte, ineficaz.

E por último, ter um e-mail diferente para recuperar a senha. Quando entramos em alguma loja que temos um cadastro, ao esquecermos a senha, inserimos o nosso CPF e a empresa encaminha para o e-mail cadastrado. Se ele não estiver cadastrado naquele celular o ladrão não terá acesso e dificultará algum golpe.

Tome bastante cuidado ao receber mensagens assustadoras como algum link ou uma cobrança do Imposto de Renda, por exemplo, para pagar uma certa quantia que deve. Informe-se, antes de efetuar o pagamento, pode estar caindo em um golpe, perdendo o dinheiro e na maioria das vezes pode ser difícil descobrir o autor deste crime nos dias atuais.

@elsonmatosdacosta

Fonte:valorinveste.globo.com

Imagem em destaque: Mohamed Hassan por Pixabay.