Você sabia? A Leste tem um morador astrônomo, que constrói telescópios

Que a Leste é cheia de talentos, isso todos nós já sabemos e o Radar Leste BH não se cansa de mostrar. Mas, vocês acreditam que na nossa região mora um astrônomo de fama internacional e que ele fabrica telescópios cúpulas, lentes, espelhos e equipamentos ligados à astronomia para o País inteiro?

O astrônomo não pensa em parar tão cedo. Foto; Acervo Pessoal

Bernardo Riedel tem 80 anos, mora no bairro Sagrada Família e é uma das referências em astronomia no Brasil e no mundo. Construtor de mais de 1.500 telescópios e 15 observatórios pelo País, o professor aposentado dedicou a vida às descobertas do universo e investiu tudo para desenvolver tecnologia própria na empresa que mantém desde 1978 em uma oficina montada na própria casa. “E nem penso em parar. Estou cheio de idéias e de projetos em execução”, afirma.

Filho de judeus – o pai polonês e a mãe austro-húngara – que chegaram ao Brasil fugindo do nazismo no início do século passado, desde cedo demostrou interesse pela astronomia. Aos 14 anos construiu o primeiro telescópio. Curiosamente, sua formação original é em farmácia e bioquímica, áreas nas quais deu aulas por oito anos na UFMG.

Apesar da carreira que já consolidava, pediu transferência para a Física e migrou das células microscópicas para a observação do universo. Foi óptico do observatório da Serra da piedade de 1978 a 2000, quando se aposentou. Em 1978 fundou a B. Riedel Ciência e Técnica, em Belo Horizonte, para fabricar instrumentos astronômicos de alta qualidade como telescópios, cúpulas, lentes, espelhos, filtros e acessórios diversos ligados à astronomia.

Os equipamentos são feitos a partir de motores de sorveteiras, polias de máquinas de costura, mecanismos de cadeiras de dentista, eixos de assadoras de frango, bomba de vácuo da Força Aérea americana, correias de copiadoras e outras engenhocas. É detentor de tecnologia de ponta e desenvolvedor de diversas técnicas originais. “É preciso ser criativo também. Não basta só dominar a ciência. Já resgatei muita peças valiosas de ferros velhos”, lembra.

Ele tem observatórios espalhados pelo País. Foto: Bellasio por Pixabay

Sem sucessor

O astrônomo da Leste tem observatórios astronômicos espalhados por cidades do interior de Minas, como Itaúna, Viçosa e em outros Estados, como São Paulo. “Atualmente estou montando um observatório para ser instalado próximo a Ribeirão Preto, no interior de São Paulo”, lembra.

Bernardo se preocupa com a falta de um sucessor para seguir o legado deixado por ele. Em Belo Horizonte e no País são pouquíssimas pessoas com essa experiência em montar telescópios e peças voltadas para a astronomia. Os dois filhos seguiram outras profissões. “Bem que podiam pegar meu cérebro e colocar na cabeça de outra pessoa”, brinca. Mas, com toda essa genialidade do professor, essa façanha até que não é assim tão impossível!