Voluntários e comerciante dão exemplo de solidariedade na Leste

A Covid-19 faz vítimas de diversas maneiras. Muitas delas nem ficaram doentes, mas em conseqüência da pandemia, perderam o emprego, a renda e estão passando fome. Diante dessa triste realidade, um grupo de voluntários, dedicado a ações sociais, e um comerciante – ambos da Leste –  decidiram fazer a sua parte para ajudar quem não tem o que comer.

O comerciante Leandro Barbosa Firbe estava no Espírito Santo, na casa da irmã, quando recebeu uma mensagem pela rede social. Um vídeo mostrava a iniciativa de alguém que colocou uma mesinha com doações de alimentos e produtos na calçada, para quem quisesse pegar. Leandro se sentiu tocado e incentivado a fazer o mesmo. “Não pensei duas vezes e fiz o mesmo aqui na porta da oficina mecânica”.

Deixe sua doação e ajude quem tem fome

 

O ‘Quem tem põe, quem não tem tira’ está dando resultados. Quem passa pela oficina, na Avenida do Contorno, 1.696 A, embaixo da igreja Nossa Senhora das Dores, no bairro Floresta pode deixar sua doação e ela logo  vai ter um bom destino: as mãos de quem passa por necessidade. “Por aqui passam moradores de rua e até pais de família do bairro que estão sem trabalho e sentem vergonha em pedir a ajuda a amigos ou parentes”, afirma Leandro

O projeto Bate Coração começou as atividades no bairro São Geraldo, em 2012, ganhou a região Leste, outros bairros da capital e já atendeu gratuitamente cerca de 20 mil pessoas. Bem que o vigilante e coordenador do grupo, Juliano Pereira de Souza, gostaria de oferecer cursos profissionalizantes, palestras e atividades voltadas para a saúde neste momento.

A Tenda Solidária é montada às quartas-feiras. Foto; Divulgação

Mas, com tanta gente passando fome, o foco do Juliano é pedir cestas básicas, alimentos não perecíveis em geral, kits de higiene e até material de limpeza para doar. Diante dessa triste realidade foi criada a Tenda Solidária. Todas as quartas-feiras o que foi arrecadado é entregue gratuitamente. “Cada dia chegam mais pessoas necessitadas e precisamos muito de quem possa nos ajudar. E para quem não tem tempo de comprar a cestas básica, basta doar o dinheiro que nós enviamos a nota fiscal pelo Watsapp”.

Faça conato com o Juliano pelo (31)98664-3274.

Conheça um pouco mais a história do grupo nesta reportagem que o Radar Leste postou no ano passado.

Projeto criado no São Geraldo leva saúde e acolhimento à população