Voluntários pedem socorro; acabou a comida para os moradores de rua

O grupo de voluntário Talher Solidário precisa da sua ajuda para levar comida aos moradores em situação de rua. O número de doadores caiu 90%, desde o início do ano. Na mesma intensidade aumentou o número de pessoas com fome, especialmente na região Leste, onde eles mais atuam.

Os voluntários não se esquecem da segurança. Foto: Josiane Alves

O Talher Solidário surgiu em meio à pandemia do novo coronavírus, em março do ano passado, quando cinco amigos se juntaram para levar alimento aos moradores em situação de rua, diariamente. A ação dos voluntários se concentra na rua Conselheiro Rocha, especialmente no albergue municipal Tia Branca, no bairro Floresta.

Com o agravamento da crise econômica provocada pelo Covid-19, o número de doações foi diminuindo e o grupo, que não conta com patrocínio ou auxílio do poder público, viu as doações reduzirem a praticamente nada. É o que garante a presidente Josiane Alves.

Marmitas como estas não são servidas mais. Foto: Josiane Alves

Segundo Josiane, além de comida os moradores recebiam medicamentos, muletas, cadeira de rodas calçados e muito outros donativos. “Agora, para piorar, até a  Copasa parou de nos doar copos d’água descartáveis. Eu tive até crise de ansiedade, tamanha a aflição por falta de doadores”, lamenta.

Hoje, o Talher Solidário precisa com urgência de arroz, feijão, óleo, carnes, verduras, colher de plástico descartável, marmitex de isopor, kits de higiene – sabonete, creme dental, absorvente – e cestas básicas também.

Se você pode ajudar entre em contato através do Instagram @talhersolidario ou pelo (31)98369-5492 e fale com a Josiane.